Clique e assine a partir de 8,90/mês

Grupo chinês Alibaba se torna patrocinador das Olimpíadas

Gigante chinês do comércio eletrônico se junta a empresas como Coca-Cola e Mc Donald's e sela parceria com o COI até 2028

Por da redação - 19 jan 2017, 15h44

A China está definitivamente investindo fortunas no esporte. Nesta quinta-feira, o grupo Alibaba, gigante chinês do comércio eletrônico, fechou acordo com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e se tornou patrocinador oficial dos Jogos Olímpicos até 2028. O acordo foi anunciado em Davos, na Suíça, pelo presidente do COI, Thomas Bach, junto com diretores da empresa, entre eles o fundador e proprietário, Jack Ma.

O Alibaba se juntará a 12 outras empresas, como Coca-Cola e Mc Donald’s, que integram o Programa Olímpico, o nível mais alto de colaboração entre empresas e o movimento olímpico. Não foram divulgados valores da negociação. Segundo a agência Reuters, as parceiras pagam ao COI cerca de 100 milhões de dólares (cerca de 320 milhões de reais) a cada quatro anos.

Pelo novo acordo, o Alibaba será parceira oficial do movimento olímpico em “serviços de nuvem” e “serviços de plataforma de e-commerce”, e anunciará no Olympic Channel, novo canal de tevê do COI. “Esta é uma revolucionária e inovadora aliança e nos ajudará a impulsionar a eficiência na organização dos Jogos Olímpicos até o ano de 2028”, afirmou Thomas Bach.

“Nós estamos orgulhosos de apoiar a Agenda 2020, usando nossas inovações e tecnologias para ajudar a evoluir os Jogos Olímpicos para a era digital”, afirmou Jack Ma. O fato de os próximos três eventos olímpicos serem na Ásia – Jogos de Inverno de 2018, em PyeongChang, na Coreia do Sul, Jogos de Verão de 2020, em Tóquio, no Japão,e Jogos de Inverno de 2022, em Pequim, na China – estimulou o gigante chinês a investir.

A Alibaba, concorrente global de empresas como a americana Amazon, tem injetado parte de sua fortuna em esporte nos últimos meses. A partir de sua marca de carros elétricos, a Alibaba E-auto, fechou contrato de oito anos de patrocínio aos Mundiais de Clubes da Fifa. Também em dezembro, assinou com a AIBA (boxe) e com a World Rugby (rúgbi).

O presidente da China, Xi Jinping, também está em Davos participando do Fórum Econômico Mundial, e se reuniu com Bach, na sede do COI, em Lausanne, na quarta-feira. Jinping é fanático por esportes, especialmente o futebol, e tem trabalhado junto com as empresas do país para desenvolver o mercado esportivo do país.

Os investimentos no futebol têm sido tão grandes, com contratações milionárias como o brasileiro Oscar e o argentino Carlos Tevez neste ano,  que a Administração Geral do Esporte do país, tem demonstrado preocupação com o que chamou de “despesas irracionais”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade