Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Governo reconhece que metade das obras para a Copa ainda não saiu do papel

Por Da Redação
23 Maio 2012, 15h34

Brasília, 23 mai (EFE).- Um balanço apresentado nesta quarta-feira pelo governo reconhece que 46% das obras previstas para a Copa do Mundo de 2014 sequer começaram e o andamento de oito dos 12 estádios ainda não chegou a 50%.

Apesar de muitas dessas obras terem de estar prontas até março de 2013 para a Copa das Confederações, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse em entrevista coletiva que, apesar de alguns atrasos, quase todos os projetos seguem ‘dentro do cronograma’ previsto.

Como subsedes da Copa das Confederações, a Fifa escolheu de forma provisória as cidades de Salvador, Recife, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza e Rio de Janeiro, mas a decisão final será tomada no fim do ano, em função do andamento das obras.

Essas seis cidades, junto a Cuiabá, Curitiba, Manaus, Natal, Porto Alegre e São Paulo, sediarão a Copa de 2014.

Sobre os estádios para a Copa das Confederações, Rebelo afirmou que só existem alguns atrasos no Maracanã, que até agora teve 45% da reforma concluída, e no estádio de Recife, que está só 33% concluído e preocupa a Fifa, que poderia excluí-lo do evento do ano que vem.

O restante será entregue em dezembro e, segundo o balanço, o mais adiantado é o de Fortaleza, concluído em 62%, seguido do de Salvador (56%), Belo Horizonte (55%) e Brasília (53%).

Continua após a publicidade

O estádio mais atrasado é o de Curitiba, cuja construção só teve 11% das obras concluídas, mas o ministro garantiu que ele ‘estará totalmente pronto’ para o início de 2014.

Nessa ‘lista negra’ segue o estádio de Porto Alegre, com 20% das obras encerradas, após terem sido afetadas por uma longa greve de trabalhadores.

Os maiores problemas se apresentam em obras relativas à infraestrutura de transporte, hotelaria e telecomunicações, que têm 46% dos trabalhos ainda nem iniciados, embora o governo garanta que elas ‘avançarão’ com força nos próximos meses.

De todos os projetos previstos nessas áreas, 9% já foram licitados e começarão nas próximas semanas, 17% estão em processo de licitação e outros 15% estão ainda em fase de estudo, indicou Rebelo.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que o acompanhou na entrevista coletiva, destacou que as obras dos estádios empregam um total de 19.043 trabalhadores, dos quais 4,8 mil apenas no Maracanã.

Continua após a publicidade

Apesar do otimismo do governo, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, voltou a manifestar nesta terça-feira sua insatisfação com o andamento das obras para o Mundial e para a Copa das Confederações.

‘O Brasil não é um país pobre. É a sexta economia do mundo e sabe o que deve fazer, mas não o faz no tempo adequado’, criticou o dirigente da Fifa.

Rebelo preferiu evitar novas polêmicas com a Fifa ante o andamento das obras, que há alguns meses levaram o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, a dizer que o Brasil precisava de ‘um chute no traseiro’ para trabalhar ‘a sério’.

Segundo o ministro, o ritmo de execução das obras avança ‘a cada dia’ e o Brasil estará em condições de realizar ‘a melhor Copa do Mundo’ em 2014. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.