Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Governador pede desculpas por vexame no Superclássico

O político - que acumula o cargo de presidente do clube local - reconheceu que a culpa não foi do ônibus da seleção, como divulgou imprensa argentina

Por Da Redação 4 out 2012, 13h53

Quando o cancelamento do jogo foi confirmado, os torcedores protestaram, lançando objetos no gramado

O governador da província argentina de Chaco, Jorge Capitanich, reconheceu nesta quinta-feira que a culpa pela queda de luz que impediu a realização do Superclássico das Américas, na noite de quarta, em Resistência, não foi do ônibus da delegação brasileira, como chegou a divulgar a imprensa local. O político, que acumula o cargo de presidente do Sarmiento, clube da cidade, pediu desculpas ao público pelo fiasco. “Um cabo se rompeu e desligou a chave dos fusíveis. É um caso em um milhão”, disse o governador numa entrevista coletiva na cidde. Capitanich falou aos jornalistas ao lado de assessores e de um engenheiro elétrico. “Vamos abrir uma auditoria para descobrir o que impediu a resolução do problema”, avisou.

Leia também:

Leia também: Cristina Kirchner, a capitã do apagão do futebol argentino

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade