Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Golfista que desistiu da Rio-2016 por medo de zika passou férias em país infectado

Há dois meses, Irlandês Rory McIlroy curtiu as praias paradisíacas de Barbados sem se importar com o surto

Por Da Redação 23 jun 2016, 09h40

O golfista norte-irlandês Rory McIlroy, quarto colocado do ranking mundial, decepcionou seus fãs nesta quarta-feira ao anunciar a decisão de não disputar os Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. “Mesmo que o risco de contaminação pelo vírus da zika seja considerado baixo, é ainda assim um risco que não quero assumir”, alegou o astro da modalidade. Curiosamente, porém, há exatos dois meses, Mcllroy passou férias com a namorada em Barbados, e não se importou com o surto de zika por lá.

Em abril, o atleta de 27 anos esteve com a namorada Erica Stoll curtindo um período de descanso no paradisíaco Sandy Lane Hotel, em Barbados, país da América Central onde foram diagnosticados casos de contágio do vírus da zika – três grávidas foram infectadas, segundo relatos da imprensa local. Os Estados Unidos, por exemplo, dão a Barbados o alerta número 2 de precaução para turistas, o mesmo nível dado ao Brasil.

Leia também:

Golfista australiano desiste da Rio-2016 por medo de zika

Ex-número 1 do golfe desiste da Rio-2016 por causa do zika vírus

Continua após a publicidade

Rio-2016: Contra zika, delegação sul-coreana vestirá uniforme-repelente​

Outros golfistas, como o fijiano Vijay Singh e o australiano Marc Leishman, já haviam anunciado nas últimas semanas que não viajariam ao Brasil por causa do vírus. Além da dupla, os golfistas Louis Ossthuizen e Adam Scott, alegaram “questões privadas” para não vir ao Brasil.

“Tenho confiança de que os irlandeses vão entender minha decisão”, escreveu McIlroy. Seu comitê olímpico, porém, não disfarçou a “frustração”. Apesar de declarar que “respeita sua decisão”, a entidade afirmou estar “extremamente decepcionada”.

O mês de julho, pouco antes dos Jogos do Rio (5 a 21 de agosto), será especialmente movimentado para os golfistas com o Aberto Britânico e o US Open, dois dos principais eventos da temporada. Todos os golfistas que desistiram da Rio-2016 participarão dos eventos, que pagam premiações milionários, ao contrário da Olimpíada, que distribui “apenas” medalhas. A última vez que o golfe fez parte do programa olímpico foi em Saint-Louis-1904.

(com Estadâo Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade