Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Goleiro Bruno fecha com Boa Esporte por 2 anos

Duas semanas depois de deixar a prisão, goleiro de 32 anos assinou com atual campeão da Série C. Repercussão negativa não assusta o clube

O goleiro Bruno Fernandes fechou acordo de dois anos com o Boa Esporte, de Varginha (MG), atual campeão brasileiro da Série C, nesta sexta-feira, duas semanas depois de deixar a prisão. O contrato será assinado na próxima terça-feira, confirmou Roberto Moraes, diretor de futebol do clube. 

O goleiro de 32 anos se reuniu com dirigentes do Boa Esporte no restaurante Pinga com Torresmo, de Varginha, e já até posou com a camisa do novo clube, cercado por dirigentes.

A negociação causou revolta em torcedores que invadiram as redes sociais para protestar. Segundo o dirigente, a repercussão negativa não fará o clube desistir da negociação. “Da nossa parte, ele já está contratado.”

Relembre a carreira de Bruno

Bruno, goleiro do Flamengo

Bruno era um ídolo no Flamengo antes da prisão (AFP/VEJA)

Quando foi preso, Bruno era titular absoluto do gol do Flamengo e constantemente especulado como um possível goleiro para a seleção brasileira – ele jogou no time carioca de 2006 a 2010. Durante sua carreira, brilhou também no Atlético-MG de 2002 a 2006. Em 2006, ele também passou pelo Corinthians, mas não chegou a entrar em campo.

Na sexta-feira, 24 de fevereiro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello concedeu habeas corpus para soltar Bruno. Na decisão, o ministro argumentou que ele tem o direito de aguardar em liberdade o julgamento de seu recurso – que está parado há quatro anos no Tribunal de Justiça de Minas Gerais -, já que é réu primário e possui bons antecedentes criminais. “Colocou-se em segundo plano o fato de o paciente ser primário e possuir bons antecedentes. A esta altura, sem culpa formada, o paciente está preso há seis anos e sete meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato”, escreveu Marco Aurélio.

Em 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato, mas aguardava há quatro anos o julgamento de um recurso, que está parado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Segundo o ministro Marco Aurélio, o goleiro tem o direito de aguardar o julgamento do recurso em liberdade, já que é réu primário e possui bons antecedentes criminais. “Colocou-se em segundo plano o fato de o paciente ser primário e possuir bons antecedentes. A esta altura, sem culpa formada, o paciente está preso há seis anos e sete meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato”, escreveu.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Antonio Pedro

    De acordo com o ANARCOCAPITALISMO o “MERCADO” boicotaria
    e acabaria com pessoas como o Bruno, kkkkkkkk!
    Isso é mais uma prova de que quem defende isso realmente esta fora da realidade e
    de fato não sabe nada sobre SER HUMANO e suas bizarrices!

    Curtir

  2. Dão flores no dia da mulher e depois contratam esse daí.

    Curtir

  3. João Augusto

    Tem tanto goleiro melhor e decente, vai contratar logo esse pulha! Espero que a torcida não apoie o clube.

    Curtir

  4. Márcia Regina Chillemi

    Eu sabia que iriam libertar este assassino! Pois o Brasil é comandado pela bandidada política corrupta! Tanto bandido solto pelo STF que é melhor nos armarmos também! QUERO UM BRASIL LIMPO DA BANDIDADA! Cadê o povo heróico! “…Mas, se ergues da justiça a clava forte,
    Verás que um filho teu não foge à luta,
    Nem teme, quem te adora, a própria morte.” Terão que mudar o Hino Nacional! Pois justiça não existe mais!

    Curtir

  5. Robson La Luna Di Cola

    Agora sim! O atacante adversário botou o pé dentro da grande área, leva chumbo!!!!

    Curtir

  6. Jefferson de Sousa

    Como assim uma segunda chance?! 🤔 É mesmo normal assassinar, esquartejar um ser humano em pedaços e enterrar dando sumiço como indigente ou como alimento pra cães. Será que ninguém se lembra desse acontecimento, um crime terrível, é imperdoável o que ele cometeu. Não é possível, prevalecer uma lei digna de justiça nesse Brasil.

    Curtir