Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Goldman Sachs prevê Brasil campeão (sobre a Argentina)

Uma análise feita pelo banco americano prevê resultados da Copa do Mundo

Por Da Redação 28 Maio 2014, 13h26

O Brasil também era o favorito do Goldman Sachs para a Copa de 2010. Na ocasião, o Brasil tinha 26,6% de chance de conquistar o título, mas foi eliminado nas quartas de final

​O banco americano Goldman Sachs revelou nesta quarta-feira suas previsões para a Copa do Mundo de 2014. Com base em seus modelos econômicos e estatísticos, a instituição estabeleceu um cálculo de probabilidade de cada seleção conquistar o título. E, de acordo com o Goldman Sachs, a seleção brasileira deverá conquistar o hexacampeonato em 13 de julho, no Maracanã, com uma vitória sobre a Argentina, por 3 a 1.

Foram analisadas cerca de 14.000 partidas disputadas entre as seleções desde 1960 (sem contar amistosos), levando em conta o números de gols marcados nas últimas partidas e os desempenhos nos últimos Mundiais. De acordo com o relatório, o Brasil tem 48,5% de chance de vencer o Mundial. Logo atrás aparece a Argentina, com 14,1%. Alemanha, com 11,4% e Espanha, com 9,8% completam a lista dos quatro grandes favoritos.

Leia também:

Seleção realiza o primeiro treino com bola em Teresópolis

Continua após a publicidade

Meia holandês se lesiona e é cortado da Copa do Mundo

Como a Espanha, nossa principal rival, aprendeu a dar olé

Fifa realiza antidoping surpresa na seleção da Argentina

Na simulação revelada pelo Goldman Sachs, o Brasil passaria por Holanda nas oitavas e Uruguai nas quartas, e eliminaria a Alemanha com uma vitória por 2 a 1 nas semifinais. Já a Argentina passaria pela Espanha nos pênaltis após empate em 1 a 1. Na decisão, o Brasil venceria a Argentina por 3 a 1, no Maracanã. A simulação apresenta ainda uma surpresa: a classificação do Irã à segunda fase, no grupo que tem também Argentina, Bósnia-Herzegovina e Nigéria.

O Brasil também era o favorito do Goldman Sachs para a Copa de 2010. Na ocasião, o Brasil tinha 26,6% de chance de conquistar o título, mas foi eliminado nas quartas de final. Não se pode dizer, porém, que o Goldman fracassou completamente na sua previsão. A campeã Espanha já aparecia como a segunda mais bem cotada, com 15,7% de chances. A Holanda, terceira equipe favorita na análise do banco, acabou a competição na segunda colocação.

Continua após a publicidade
Publicidade