Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Gol de boca’ do Táchira vira aprendizado para o Corinthians

O Corinthians poderia ter conquistado um resultado melhor do que o empate por 1 a 1 com o Deportivo Táchira se não saísse perdendo aos 21 minutos do primeiro tempo, quando dominava a partida na Venezuela. A opinião é unânime no elenco corintiano, que espera tomar a pane generalizada da defesa no gol de Herrera como lição para as próximas jornadas da Libertadores.

‘É preciso saber reagir ao que acontece’, ensinou o técnico Tite, poucos minutos após o desembarque da delegação no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. ‘A gente tomou um gol de boca, nunca vi. Meu filho falou: pai, nós conseguimos tomar um gol de boca! Foi um acidente, imprevistos acontecem no futebol’.O lance foi originado em um arremesso lateral e terminou com Chicão chutando a bola em cima de Herrera, que encobri Julio Cesar ‘sem querer’. A falha de comunicação foi comentada pelos dois envolvidos.

‘Foi um lance de sorte deles. O Chicão chutou, a bola bateu na cabeça dele, acabou subindo e me encobriu. São coisas que infelizmente acontecem. Ontem (quarta) a bola resolveu entrar’, discursou Julio Cesar, que se disse ‘calejado’ após a igualdade na estreia.

‘O Tite falou que eles tinham essa jogada, mostrou vídeos. A gente sabia que não poderia dar mole em lateral, deveríamos ter nos prevenido mais. Não pode acontecer em jogo de Libertadores’, emendou Chicão, antes de ponderar. ‘Não vejo como falha, temos que reconhecer que do outro lado tem qualidade também’.