Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ginasta de 13 anos leva título ao bater Hypolito e Jade

Por AE

Toledo – Rebeca Andrade, de apenas 13 anos, roubou a cena neste sábado ao conquistar a medalha de ouro do Troféu Brasil de Ginástica Artística, no Ginásio de Esportes Alcides Pan, em Toledo (PR). E a ginasta do Flamengo superou, entre outras adversárias, Daniele Hypolito e Jade Barbosa, nomes já consagrados da modalidade no País.

A adolescente obteve o feito justamente em seu primeiro campeonato adulto, sendo que este é o seu primeiro ano na categoria juvenil como atleta. O ouro veio com a somatória mais alta obtida por ela em quatro aparelhos: 55.250 (14.900 no salto, 12.900 nas assimétricas, 13.800 na trave e 13.650 no solo).

A segunda colocação do Troféu Brasil ficou com Adrian Gomes, do Grêmio Náutico União, com 54.450 pontos ao total, enquanto Daniele Hypolito, do Flamengo, conquistou o bronze. A nota obtida no solo por Daniele, uma especialista neste quesito, foi a mesma recebida por Rebeca Andrade, por sinal.

Jade Barbosa, outra atleta que defende o Flamengo, terminou com a modesta quarta colocação, enquanto o quinto lugar ficou com Bruna Leal, do clube Cegin e que também faz parte da seleção brasileira de ginástica. Outra representante deste grupo da seleção e que também defende o Cegin, Ethiene Franco foi apenas a 13.ª colocada.

Rebeca não escondeu a empolgação com o feito obtido neste sábado e destacou o fato de já ter conseguido superar nomes consagrados da ginástica do País. “Eu queria muito ganhar o Troféu Brasil. Mas nunca pensei em conquistar o ouro competindo do lado da Daniele e da Jade, porque elas são muito boas. Estar com elas no dia a dia só me ajuda e ver as duas torcendo por mim também. Estou muito feliz e espero que mais resultados bons venham com o tempo”, disse.

Daniele Hypolito, por sua vez, fez vários elogios à ginasta pelo título precoce. “Significa que a renovação está sendo feita na ginástica e isso é muito importante. Vocês estão começando a ver alguns nomes para a Olimpíada de 2016 e, com certeza, a Rebeca é um deles”, comentou, antes de minimizar o peso de ter sido superada por uma adolescente neste evento nacional.

“Temos a Olimpíada pela frente. Estou trabalhando para integrar a seleção e as falhas que tive hoje (sábado) é melhor que aconteçam aqui do que em Londres. Mas, no geral, competi bem. Dificultei minha série de trave e foi um ótimo teste. Meu salto foi bom e o solo vou começar a mudar bastante nas próximas competições”, completou.