Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Galvão cria saia-justa entre Ronaldo e Casagrande

<p>“Também fiquei sabendo dessa história”, disse Ronaldo, companheiro de transmissão de Casagrande, sobre os pedidos por sua saída de campo num jogo do Mundial de 2002 A seleção brasileira garantiu a classificação para a final da Copa das Confederações ao vencer o Uruguai por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Minerão – o adversário sairá […]</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 21h24 - Publicado em 26 jun 2013, 19h20

“Também fiquei sabendo dessa história”, disse Ronaldo, companheiro de transmissão de Casagrande, sobre os pedidos por sua saída de campo num jogo do Mundial de 2002

A seleção brasileira garantiu a classificação para a final da Copa das Confederações ao vencer o Uruguai por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Minerão – o adversário sairá do jogo entre Espanha e Itália, nesta quinta-feira, em Fortaleza. Na transmissão da TV Globo, parceira da Fifa, o narrador Galvão Bueno criou uma pequena saia-justa ao lembrar um comentário infeliz de Casagrande na Copa do Mundo de 2002. “Casagrande, você lembra do seu comentário na semifinal contra a Turquia? Você insistia que o Ronaldo precisava ser substituído, mas ele ficou e marcou o gol da classificação”, disse o narrador, lembrando do gol do artilheiro no começo do segundo tempo. Os comentaristas demonstraram certo desconforto, mas Ronaldo tratou de aliviar o clima com uma brincadeira. “Pois é, também fiquei sabendo dessa história”, disse o companheiro de transmissão de Casagrande. Assim como fazia com Ronaldo e hoje faz com Neymar, Galvão Bueno não se cansou de elogiar e pedir Bernard, seu novo xodó. O narrador e vibrou quando o técnico Luiz Felipe Scolari o chamou para entrar em campo. “O Felipão gosta de falar que ele tem alegria nas pernas. Espero que encante a torcida que gritou o seu nome.” Apesar da torcida pelo jovem jogador do Atlético-MG, Galvão terminou a partida falando bem de outro destaque da seleção brasileira: Paulinho, ex-jogador do Corinthians vendido ao Tottenham (Inglaterra), que marcou de cabeça, no finzinho, para garantir a vitória nesta quarta. “Ele é o homem dos gols importantes, surge sempre na hora exata, quando a seleção mais precisa”, gritava o narrador. Logo depois do apito final do árbitro chileno Enrique Osses, Galvão Bueno mandou uma mensagem ao palco da final da Copa das Confederações: “Alô, Rio de Janeiro: a seleção brasileira está chegando aí”.

Leia também:

Brasil sofre, mas despacha o Uruguai e avança à decisão

Os lances e estatísticas da partida entre Brasil e Uruguai

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade