Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Futuras instalações de Botsuana viram cartão de visitas do Gabão

Por Da Redação 12 nov 2011, 06h48

O governo do Gabão tem um calendário perigoso a cumprir até janeiro para alcançar sucesso na dura missão de receber a Copa das Nações Africanas de futebol junto com Guiné Equatorial.Nesta sexta-feira, a organização do evento confirmou que há pontos importantes a cumprir em pouco mais de dois meses, até a bola rolar, mas não perdeu a sensação de confiança no rosto.

Em uma apresentação especial a um grupo de jornalistas de várias partes do mundo, a discussão foi centrada nas instalações que serão utilizadas por Botsuana durante a Copa da África, na região de Bongoville, cerca de 40 minutos de Franceville.O sinal de alerta está ligado no Gabão porque até mesmo as principais construções tiveram a inauguração adiada.

‘Encontramos uma grande dificuldade com as chuvas nesta época do ano, por isso ainda temos o que fazer’, explica Bedros Bazdikian, engenheiro responsável pelos projetos em Bongoville, sem maquiar o atraso no cronograma da preparação da Copa das Nações Africanas.

De fato, desde que chegou ao Gabão na quarta-feira, a reportagem da GE.net constata que a chuva é uma companheira diária do país nesta época do ano, inclusive em diferentes períodos do mesmo dia e com uma intensidade surpreendentemente forte. Portanto, as obras viram locais cheios de lama, obstáculo que dificulta o deslocamento dos operários.

Durante a primeira fase da Copa das Nações, Botsuana irá desfrutar de um local para treinos que já existia, mas uma reformação total. Com cerca de dois mil lugares, o estádio de Bongoville tem sido trabalhado nos últimos 12 meses e vai ganhar uma pista de atletismo moderna e até áreas de estacionamento. ‘Podemos dizer que construímos um novo estádio’, reconhece Bedros Bazdikian.

Ao mesmo tempo em que carrega a perspectiva de encontrar conforto no trabalho, a seleção de Botsuana terá à disposição um hotel com um projeto charmoso nas imediações do local de treinamento. Cada suíte terá três quartos e até uma banheira espaçosa para os atletas africanos desfrutarem de momentos de relaxamento após as partidas.

Na apresentação da estrutura, os responsáveis foram insistentes ao citar pontos que ajudam na segurança da delegação que usará o hotel. A promessa é que haverá um rigoroso controle de acesso e câmeras espalhadas pelo complexo.

* Repórter viaja a convite do Governo do Gabão

Continua após a publicidade
Publicidade