Clique e assine a partir de 9,90/mês

Futebol argentino tem segunda morte em menos de 2 semanas

Cristian Gómez, do Atlético Paraná, desmaiou em campo e morreu a caminho do hospital. Há dez dias, outro atleta do país morreu ao bater a cabeça em um muro perto do gramado

Por Da Redação - 25 maio 2015, 09h36

O zagueiro argentino Cristian Gómez, do Atlético Paraná, morreu neste domingo, em Corrientes, após desmaiar durante partida contra o Boca Unidos pela segunda divisão do Campeonato Argentino. O atleta de 27 anos caiu desacordado em campo aos 32 minutos do primeiro tempo, sem ter tido nenhum choque. Ele foi reanimado e levado de ambulância para o Hospital Escola General San Martín, mas sofreu um ataque cardíaco e morreu durante o trajeto.

“Ele chegou sem vida. Os médicos falaram que não conseguiram reanimá-lo. É algo inesperado, não dá para acreditar. O jogador começou a tropeçar, caiu para trás, descompensado. Ninguém entendeu nada, porque nunca se viu nada como isso”, descreveu Ramón Gómez, representante da Federação Argentina ao diário esportivo argentino Olé.

Leia também:

Jogador argentino morre após bater a cabeça em muro

Continua após a publicidade

Torcedor do Boca que jogou spray em jogadores diz estar ‘desesperado’

Atleta belga morre após sofrer ataque cardíaco em jogo

O presidente do Atlético Paraná, César Fontana, emocionado pela morte de Gómez, não encontrava explicações para o ocorrido. “O que podemos dizer com esta dor? É algo terrível. Esta é uma categoria superprofissional e se alguém tem algum problema, não pode jogar”, declarou o dirigente. Fontana argumentou que o jogador realizou uma série de exames no início do mês e nenhum deles apontou qualquer tipo de problema.

Este é o segundo caso recente de morte no futebol argentino: há dez dias, Emanuel Ortega, do San Martín de Burzaco, morreu em uma partida da terceira divisão ao bater a cabeça contra um muro ao lado do gramado.

Continua após a publicidade
Cristian Gómez foi socorrido no gramado, mas morreu a caminho do hospital
Cristian Gómez foi socorrido no gramado, mas morreu a caminho do hospital VEJA

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade