Clique e assine com até 92% de desconto

Fred pode deixar o Fluminense após incidente com torcedores

Por Da Redação 6 ago 2011, 11h37

Após ser hostilizado por torcedores do Fluminense, o atacante Fred concedeu uma entrevista coletiva neste sábado. Admitindo estar se sentindo ameaçado, o jogador não garante mais sua permanência na equipe, ao menos que receba garantias quanto à sua segurança enquanto for jogador do clube carioca.

‘Sou pai de família, não marginal. Preciso de segurança para viver tranquilo no Rio. Não tem nada definido. Tenho contrato de mais cinco anos, mas tenho que ter garantias. Hoje, minha ideia é sair’, desabafou Fred, que foi liberado pela diretoria do próximo jogo diante do América-MG, neste próximo domingo.

Fred foi flagrado por alguns torcedores do Fluminense em um bar na zona sul do Rio de Janeiro. Na ocasião, o atacante foi perseguido por torcedores, após ter sido visto ingerindo bebidas alcoólicas.

‘Fui abordado na porta de casa, ameaçado em um bar, tive que sair correndo com o carro e não é isso que quero da minha vida. As pessoas que fazem isso se dizem torcedores, mas não são. Isso é coisa de marginal’, lamentou. Fred ainda confirmou ter ingerido bebidas alcoólicas pouco antes do incidente.

‘Se for para perder o direito de ir e vir fica impossível. Não poder ir a um bar, beber minha cerveja, vinho, teatro. Aí fica difícil. Passei isso para a diretoria. Preciso de segurança para viver tranquilo no Rio’, continuou. ‘Nunca faltei a treino, dediquei minha vida ao clube. Não quero andar com filha, namorada, com três seguranças atrás. Se esses marginais falarem alguma coisa, e acontecer alguma coisa, o responsável sou eu. Não vou admitir isso comigo’, disse.

Quanto ao seu destino após sua possível saída do Fluminense, Fred deixou claro que não irá se transferir para times brasileiros. ‘A chance de eu sair para o Fluminense para ir para o Palmeiras, Cruzeiro, falaram até Flamengo. Eu seria traidor se fizesse isso. Se acontecer, não será para um clube do Brasil’, concluiu o jogador, que ainda negou a possibilidade de conversar com a torcida.

Continua após a publicidade
Publicidade