Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

‘Franceses estão um pouco obcecados com o doping’, ressalta Nadal

Por Stan Honda 14 fev 2012, 14h47

O tenista espanhol Rafael Nadal afirmou nesta terça-feira, em uma entrevista concedida à Antena 3, que os franceses “estão um pouco obcecados com a questão do doping”, referindo-se à polêmica desencadeada por uma sátira relacionada à estrela do tênis na televisão francesa.

“Nossos vizinhos estão um pouco obcecados com a questão do doping, mas acho que também estão dando uma amplitude maior ao que realmente foi feito”, explicou Nadal na televisão espanhola.

O número dois do mundo fez referência a esquetes satíricos nos quais aparece uma marionete do jogador ao lado das de outros atletas espanhóis (o ciclista Alberto Contador, o jogador de basquete Pau Gasol e o goleiro Iker Casillas) ironizando as práticas de doping em um programa da rede francesa Canal Plus.

“O primeiro esquete é normal, mas depois a coisa foi ficando grande. São apenas marionetes, mas podem influir na percepção de muita gente sobre o esporte espanhol” explicou Nadal.

O espanhol também frisou que muitas conquistas obtidas pelo esporte espanhol nos últimos anos (Eurocopa 2008 e Copa do Mundo 2010, seus seis títulos em Roland Garros e o título de campeão europeu de basquete conquistado no ano passado, entre outros) são fruto do “esforço e da superação”.

Sobre a explicação para o extraordinário momento do esporte espanhol, o ex-número um do mundo foi contundente.

“A explicação é apenas que houve uma série de gerações que triunfaram. Sempre há um pouco de sorte, mas o esforço, o espírito de superação e o trabalho são vitais”, declarou.

Nadal também deu sua resposta ao ex-tenista francês, Yannick Noah, que em novembro escreveu no jornal Le Monde que o esporte espanhol “possui uma poção mágica”.

“Isto é intolerável, sobretudo vindo de quem vem. Que isso saia de pessoas que não entendem de esportes, bom, mas não de pessoas que estão relacionadas a isso, que sabem o quão profissional está o esporte. Já fui submetido a três ou quatro exames antidoping este ano, é impossível trapacear”, concluiu o tenista.

Continua após a publicidade

Publicidade