Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fluminense sofre com um a menos e perde do Boca pelo placar mínimo

O Fluminense foi derrotado por 1 a 0 pelo Boca Juniors em partida disputada na noite desta quinta-feira na Bombonera, pelas quartas de final da Taça Libertadores. O Tricolor das Laranjeiras jogou com dez jogadores desde os 35 minutos do primeiro tempo por causa da expulsão de Carlinhos. Agora o Fluminense precisa vencer por dois gols de diferença no jogo de volta no Engenhão para garantir a classificação para as semifinais. O Boca joga por um empate para seguir na competição.

O Fluminense que atuou desfalcado de Fred e Deco reclamou muito da atuação da arbitragem. Os tricolores lutaram muito para suportar a pressão do time argentino e acabaram deixando o estádio satisfeitos por terem evitado uma derrota por um placar mais elevado.

O Jogo – O Fluminense começou a partida com a marcação adiantada para impedir que o Boca tivesse liberdade para atacar. Os dois times trocavam passes no meio campo mas sem qualquer jogada de profundidade.Aos cinco minutos,o time carioca criou a primeira oportunidade. Após boa troca de passes pela direita, Wagner cruzou para a entrada de Thiago Neves mas a zaga argentina aliviou o perigo.

o Boca encontrava muita dificuldade para penetrar na área do Fluminense porque a marcação carioca impedia que Riquelme distribuisse o jogo.Só aos nove minutos é que a equipe da casa chegou ao ataque na área em cruzamento de Riquelme em cobrança de falta, mas Schiavi cabeceou por cima.

O time brasileiro continuava melhor em campo e criou a primeira grande chance aos 12 minutos quando Wagner lançou Jean na frente dos zagueiros argentinos mas o volante tricolor desviou por cima, desperdiçando a chance. Logo depois foi a vez de Rafael Moura chegar atrasado em cruzamento de Rafael Sobis quando estava livre na pequena área.

Depois de dois sustos, o Boca foi para o ataque e criou sua primeira oportunidade aos 16 minutos quando Riquelme cobrou falta da direita, Roncaglia completou e Diego Cavalieri salvou com os pés. No minuto seguinte, Roncaglia soltou a bomba de fora da área. Cavalieri deu rebote mas Gum salvou ao dividir com Cvitanich que chegava para completar para o gol.

Aos 21 minutos, foi a vez de Erviti cruzar na cabeça de Cvitanich, na pequena área, mas o atacante cabeceou por cima do gol.

O Fluminense sentiu a pressão e recuou a marcação enquanto a equipe argentina pressionava em busca do primeiro gol.Só aos 25 minutos é que o Tricolor das Laranjeiras voltou ao ataque quando Jean arriscou de longe e a bola subiu demais.

No banco de reservas, o técnico Abel Braga pedia aos seus jogadores para que se adiantassem para reduzir a pressão argentina.

Aos 33 minutos, o lateral Carlinhos que já havia recebido cartão amarelo usou a mão para cortar um lançamento e foi expulso de campo.

Abel deslocou Wagner para cobrir a ausência de Carlinhos e o time da casa seguiu com a pressão utilizando principalmente as avançadas de Roncaglia que dava muito trabalho pelo setor direito. Aos 39, Gum falhou no cruzamento de Roncaglia mas Anderson conseguiu aliviar o perigo. Aos 40 foi a vez de Mouche se livrar da marcação e chutar rasteiro mas Diego Cavalieri fez uma boa defesa.

Aos 42 minutos foi a vez de Riquelme mandar de fora da área mas a bola desviou em Jean e saiu. Na cobrança do escanteio, Schiavi completou de dentro da grande área e Diego Cavalieri fez outra grande defesa, salvando o Fluminense.

Aos 46 minutos, o Fluminense chegou ao ataque em cobrança de escanteio e a bola bateu no braço de Erbes que estava de costas mas o árbitro nada marcou.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com o lateral esquerdo Thiago Carleto lugar do atacante Rafael Sobis para recompor a defesa, desfalcada com a expulsão de Carlinhos. E o Boca partiu para o ataque em busca do primeiro gol.

Aos cinco minutos, o Boca que ficava muito tempo com a bola chegou pela primeira vez com perigo em chute de Inssuralde que o goleiro Diego Cavalieri defendrreu com segurança. O Boca marcou o primeiro gol aos seis minutos. Cvitanich enfiou um passe perfeito para Mouche na área. O atacante tocou com categoria na saída de Cavalieri.

O Fluminense voltou a criar uma jogada de perigo aos seis minutos com Jean arrancando para o ataque e sendo derrubado na entrada da área por Erviti. Na cobrança, Thiago Neves isolou a bola. Com um jogador a menos, o time dirigido por Abel Braga tentava bloquear os avanços do time argentino que partia em busca do segundo gol apoiado pela grande torcida.

Preocupado em criar uma alternativa de velocidade para o ataque, Abel Braga tirou Rafael Moura e colocou o jovem Marcos Junior na frente para puxar as jogadas em velocidade em cima da defesa portenha.

Aos 29 minutos, Schiavi se aproveitou da marcação equivocada da defesa tricolor e penetrou livre mas a conclusão do zagueiro foi defendida pelo goleiro Diego Cavalieri que mandou para escanteio. O jogo ficou nervoso com muitas entradas violentas dos dois times diante da passividade da arbitragem. Abel colocou o zagueiro Digão no lugar de Thiago Neves para ajudar seus companheiros na defesa e segurar o resultado, conseguindo o objetivo ao término da partida.