Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fluminense busca reabilitação contra o Huachipato

Time vem de derrota para o Grêmio em casa, e precisa vencer para se manter em boa situação no Grupo 8

Por Da Redação 27 fev 2013, 07h08

“Será uma partida complicada, mas fomos ofensivos na estreia e não mudaremos nossa forma de jogar”, promete Abel Braga

O Fluminense coloca seu futuro na Copa Libertadores em jogo nesta quarta-feira, quando enfrenta o Huachipato, do Chile, em jogo marcado para as 22h (de Brasília), no estádio CAP, em Talcahuano, a pouco mais de 500 quilômetros de Santiago. A equipe vem de derrota em casa para o Grêmio, por 3 a 0, e ocupa momentaneamente a úlitma posição no Grupo 8 – tem o pior saldo de gols (-2) entre os quatro times, todos empatados com três pontos. O atual campeão brasileiro tentará impor sua força e manter uma sina dessa chave: todos os jogos foram vencidos pelo time visitante.

Leia também:

MPF pede condenação de Emerson Sheik por contrabando

Chefe da arbitragem da CBF cai após entrevista polêmica

Felipão agora diz que deve ‘mudar bastante’ a seleção

Continua após a publicidade

O time comandado pelo técnico Abel Braga chegou na segunda-feira ao Chile e vai com forla máxima para o jogo, inclusive com a presença do zagueiro Gum e do meia Deco, cuperados de contusão. O técnico Abel Braga promete um time fiel a seu estilo, ofensivo, e espera repetir o resultado da estreia, quando bateu o Caracas por 1 a 0, na Venezuela. “Será uma partida complicada, mas fomos ofensivos na estreia, quando vencemos o Caracas, e não mudaremos nossa forma de jogar. As duas equipes estão vindo de derrota e sabem que um novo mau resultado vai complicar a situação em termos de classificação, então vamos precisar ser inteligentes para fugir da pressão. Não vamos encontrar um adversário ingênuo pela frente, muito pelo contrário. É um time que sabe valorizar a posse de bola, procurar espaços e encontrar a hora certa de tentar ganhar. Portanto, vamos ter que ser equilibrados em todos os setores”, receitou Abel.

Uma das estrelas do time, o meia Thiago Neves diz que o clima é de tranquilidade entre os jogadores. “A verdade é que estão criando pressão onde não existe. O Fluminense está em uma fase excelente, vem ganhando tudo nos últimos anos, conseguindo feitos que ninguém apostaria. Nosso clima é de tranquilidade. Peço um voto de confiança. Não é por causa da derrota para o Grêmio e do empate diante do Madureira que vão começar a pressionar. Está tudo em paz. Nosso foco já está na próxima partida”, disse.

No atual campeão chileno, que venceu o Grêmio na Arena e depois perdeu em casa para o Caracas, o foco está totalmente na Libertadores. O time faz campanha muito ruim na liga nacional, mas isso não preocupa o técnico Jorge Pellicer. “A fase de grupos da Libertadores será decidida rapidamente, por isso é preciso priorizá-la. Nós da comissão técnica decidimos dar prioridade ao imediato, o que significa optar pela Libertadores e deixar a equipe menos cansada no torneio local. Diante do Caracas não conseguimos repetir a atuação que tivemos diante do Grêmio e isso não pode acontecer de maneira alguma em uma partida em nossa casa. O respeito ao Fluminense é muito grande, mas temos que nos impor e procurar ganhar a partida Não podemos mais errar em casa.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

A terceira rodada do Grupo 8 continua na próxima terça-feira, com o duelo entre Grêmio e Caracas, que deve ser disputado no estádio Olímpico, já que a Arena do Grêmio não foi liberada pela prefeitura de Porto Alegre, por ainda não ter o habite-se definitivo. No dia seguinte, Fluminense e Huachipato se enfrentam no Engenhão, já pela quarta rodada.

(Com agências EFE e Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade