Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Flu quer acabar com invencibilidade de 36 partidas do Boca

O Fluminense enfrenta o Boca Juniors no estádio da ‘Bombonera’, em Buenos Aires, nesta quarta-feira pela fase de grupos da Libertadores, e precisará jogar no seu melhor nível para tentar acabar com a invencibilidade de uma equipe que não perde há 36 partidas.

O tricolor carioca estreou com uma vitória difícil por 1 a 0 no Engenhão sobre outro time argentino, o Arsenal, e vem embalado após ter conquistado o título da Taça Guanabara na semana passada, garantindo presença na final do estadual.

Assim, o Flu pode se focar em 100% no seu maior objetivo da temporada, a Libertadores, e espera finalmente soltar o grito de campeão entalado na garganta desde 2008, quando perdeu a decisão nos pênaltis para a LDU.

Na ocasião, a equipe, que já contava com o meia Thiago Neves, tinha justamente chegado à final ao eliminar nas semis o Boca, com um empate em 2 a 2 na ‘Bombonera’ e uma vitória por 3 a 1 na volta, no Maracanã lotado.

“Vamos encarar esta partida como se fosse uma decisão. Uma vitória fora de casa nos dará muita confiança para o resto da competição. É com esta atitude que vamos conseguir vencer”, afirmou Thiago Neves.

O técnico Abel Braga também avisou que não iria se intimidar com a torcida e mandaria sua equipe partir para cima do adversário.

“Se ficarmos atrás o tempo todo vamos perder. O Boca é muito agressivo, mas não podemos nos limitar apenas a defender. Precisamos trabalhar para melhorar muito a nossa defesa, por isso prefiro evitar que ela esteja muito exposta. Temos que tentar jogar de igual para igual. Não dá para ficar encolhido contra uma equipe como o Boca no seu estádio”, explicou.

O zagueiro Digão deve ser escalado como titular no lugar de Leandro Euzébio, suspenso por sua expulsão no jogo contra o Arsenal.

Já o Boca, que lidera o torneio ‘Clausura’ e vem de uma vitória por 2 a 0 sobre o San Lorenzo no último domingo, precisa se recuperar na Libertadores após o tropeço da estreia, quando ficou no 0 a 0 com o modesto Zamora, da Venezuela.

Além da decepção pelo resultado, os argentinos tiveram que enfrentar problemas internos, com tensões no vestiário entre o técnico Julio César Falcioni e alguns jogadores do elenco após a partida na Venezuela.

O atacante uruguaio Santiago Silva declarou ao diário esportivo ‘Olé’ que a vitória em casa é fundamental, mas mostrou cautela ao admitir que o Fluminense é “um time grande, que venceu por 3 a 0 no fim de semana (o Nova Iguaçu no sábado, em Volta Redonda)”.

Falconi poderá contar com as voltas da sua maior estrela, o meia Juan Román Riquelme, e do zagueiro veterano Rolando Schiavi, ambos recuperados de lesões.

O atacante Darío Cvitanich, que saiu de campo machucado no domingo, na partida contra o San Lorenzo, não poderá ser escalado.

O pontapé inicial da partida será dado nesta quarta-feira às 22h00 no horário de Brasília.

O trio de arbitragem será dirigido pelo juiz paraguaio Carlos Amarilla, auxiliado pelos compatriotas Carlos Cáceres e César Franco.

Possíveis escalações:

Boca Juniors : Agustín Orion – Facundo Roncaglia, Rolando Schiavi, Juan Manuel Insaurralde, Clemente Rodríguez – Diego Rivero, Leandro Somoza, Walter Erviti – Juan Román Riquelme – Pablo Mouche e Santiago Silva. T: Julio César Falcioni.

Fluminense: Diego Cavalieri – Bruno, Digao, Anderson, Carlinhos – Diguinho, Valencia, Deco, Thiago Neves – Wellington Nem e Fred. T: Abel Braga.