Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Flamengo quer atrair torcida para jogo decisivo na Libertadores

Por Da Redação - 9 abr 2012, 14h26

Apesar da situação delicada, o Flamengo promete brigar até o fim pela classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores da América. Lanterna do Grupo 2, o time rubro-negro vai precisar derrotar o classificado Lanus da Argentina nesta quinta-feira, no Engenhão, e torcer por um empate entre Olimpia e Emelec, que se enfrentarão em Assunção no mesmo horário da partida entre brasileiros e argentinos.

Além das palavras otimistas do técnico Joel Santana, que tem manifestado sua confiança na conquista da vaga, a diretoria do Flamengo estuda uma promoção para atrair a torcida ao Engenhão. A principal opção seria baixar o preço dos ingressos, única forma, segundo uma fonte da diretoria, de atrair o torcedor que não está muito confiante no futuro do clube rubro-negro na competição sul-americana.

Para o confronto diante do Lanus, Joel será obrigado a modificar a equipe que atuou diante do Vasco. O meia Kléberson, que entrou desde o início no clássico e já é considerado titular pelo treinador, não está inscrito na primeira fase da Libertadores, mesma situação do volante Rômulo e do atacante Diego Maurício, que entraram durante a partida. Luiz Antonio deve ocupar o lugar de Kleberson e o resto da equipe deve ser o mesmo que iniciou a partida contra o Vasco.

Depois da vitória do sábado, os jogadores rubro-negros tiveram o domingo de folga e se reapresentaram na manhã desta segunda-feira, no Ninho do Urubu. Os que enfrentaram o Vasco fizeram apenas trabalho de recuperação na academia enquanto os reservas participaram de um treino físico no campo principal do CT.

Publicidade

A novidade foi a presença da presidente Patricia Amorim, que normalmente só aparece na véspera dos jogos mais importantes. Ela conversou com alguns dirigentes e se reuniu com o técnico Joel Santana, mas os dois não fizeram comentários sobre o encontro.

Os jogadores voltarão a treinar pela manhã nesta terça-feira, decisão tomada no último sábado pela diretoria, sem que o técnico Joel Santana tivesse sido consultado. A medida foi encarada por alguns setores do clube como uma forma de controlar os jogadores que têm sido acusados de cometer excessos.

Ronaldinho Gaúcho, que já se ausentou de 12 treinos neste ano, parece ser o principal alvo da decisão. A explicação oficial da diretoria é que a mudança no horário dos treinamentos é passar para a torcida uma mensagem de dedicação do grupo. Durante a semana, todas as atividades serão matinais, inclusive a de sexta, depois do jogo contra os argentinos.

Publicidade