Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Flamengo empata com o Santos e vê o líder ampliar vantagem

Flamengo e Santos voltaram a campo neste domingo, no Engenhão, após darem show no primeiro turno, na Vila Belmiro. Mas, desta vez, em uma partida bem mais tranqüila, as duas equipes ficaram no empate, em 1 a 1, em confronto válido pela 31rodada do Campeonato Brasileiro. Neymar abriu o placar, de pênalti, para os santistas. Deivid empatou para os donos da casa.

Com esse resultado, o Rubro-Negro se manteve na quarta posição, agora com 52 pontos, cinco a menos que o líder Vasco. O Peixe subiu uma colocação, pulou para o décimo lugar, e tem 42 pontos ganhos.

Na próxima rodada, os cariocas visitam o Grêmio, no próximo domingo, no Estádio Olímpico. Já o Alvinegro Praiano recebe o Atlético-PR, sábado, no Pacaembu.O jogo – Com os resultados da rodada, o Flamengo entrou em campo ainda mais pressionado a conseguir um resultado positivo dentro de casa contra o Santos.

Sem Ronaldinho Gaúcho e Thiavo Neves, suspensos, o Rubro-Negro começou o jogo abusando das jogadas pelos lados do campo, em busca do gol. Em uma delas, aos sete minutos, o lateral direito Leonardo Moura cruzou para Deivid tocar livre, de cabeça, mas a bola passou ao lado do gol de Rafael, sem perigo para o camisa 1 do Peixe.

Com uma proposta de jogo destinada a neutralizar os pontos fortes dos cariocas, os santistas assustaram o adversário, aos 21. O colombiano Renteria, substituto de Borges, artilheiro do Brasileirão e que estava suspenso, quase encobriu Felipe, que fez boa defesa, colocando a bola pela linha de fundo.

Se aproveitando dos problemas apresentados pelos flamenguistas, o Alvinegro Praiano criou mais uma boa chance. Desta vez com Neymar, aos 34, em bela jogada individual do atacante, que se livrou de três adversários, mas viu a sua finalização parar na defesa rubro-negra.

Antes do intervalo, o Flamengo conseguiu exercer a pressão que tanto queria, em busca do gol. E foi aí que brilhou a estrela do goleiro, com grandes defesas em arremates de Júnior Cesar, aos 43, e Jael, aos 46, respectivamente, garantindo o empate ao final do primeiro tempo.

Na volta para a etapa complementar, o Santos voltou determinado e conseguiu logo nos primeiros instantes chegar ao seu gol. Aos dois minutos, Alan Kardec sofreu pênalti de Alex Silva. Na cobrança, no minuto seguinte, Neymar mostrou categoria ao deslocar Felipe e colocar a sua equipe em vantagem no Engenhão: 1 a 0 para o Peixe.

Melhor na volta do intervalo, o time santista ainda reclamou de um outro pênalti, aos 10. Neste lance, Neymar driblou Willians e Maldonado, tabelou, e foi tocado por Wellinton na grande área. A arbitragem mandou a partida seguir.

Pouco depois, aos 16, foi a vez do Rubro-Negro reclamar da arbitragem. Aos 16, Renato Abreu cobrou escanteio, Wellinton desviou e Alex Silva completou para o gol, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Com a necessidade do resultado, o técnico flamenguista, Vanderlei Luxemburgo, queimou rapidamente as suas três alterações até a metade do segundo tempo. Primeiro, Diego Maurício entrou no lugar de Jael, Vander substituiu Negueba e, mais tarde, Thomás foi para o jogo na vaga de Willians. Ao notar a volúpia ofensiva do adversário, o treinador interino do Santos, Tata, sacou o centroavante Alan Kardec para colocar o volante Ibson, reforçando o meio-campo.

No entanto, a pressão rubro-negra deu resultado quando Deivid aproveitou cruzamento da esquerda, de Júnior Cesar, para empatar o confronto, aos 32 minutos, para a alegria da torcida que compareceu ao Engenhão.

Minutos após o gol, o volante Arouca sentiu dores musculares e teve que ser substituído. Tatá colocou o zagueiro Bruno Aguiar na sua vaga.

Apostando nos contra-ataques, o Peixe quase voltou a balançar as redes, aos 38. Neymar roubou a bola na entrada da área e, mesmo chutando fraco, quase contou com a colaboração do goleiro Felipe, que colocou a bola para escanteio.

Os santistas ainda tiveram um gol anulado, antes do apito final, nos últimos minutos do duelo. Aos 44, Neymar cobrou falta para a cabeçada de Edu Dracena. Mais uma vez, a arbitragem impugnou o lance.

(Com agência Gazeta Press)