Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Flamengo e Atlético-PR decidem título no Maracanã lotado

Equipes brigam por troféu e vaga na Libertadores. Fla tenta o tri da competição

Por Da Redação 27 nov 2013, 06h41

“Acredito que o Maracanã será o nosso principal aliado. A torcida teve um papel fundamental nesta Copa do Brasil”, disse Léo Moura

O campeão da Copa do Brasil de 2013 será conhecido nesta quarta-feira, a partir das 21h50 (de Brasília), quando Flamengo e Atlético-PR se enfrentam no Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo segundo jogo da decisão. Na ida, na semana passada, deu empate, 1 a 1. Quem ganhar nesta quarta dará a volta olímpica. Empate por 0 a 0 serve aos cariocas, pois os gols anotados como visitante são um critério de desempate. Novo 1 a 1 forçará a disputa de pênaltis. Se houver empate com mais gols, a festa será paranaense. O Flamengo, cinco vezes finalista, busca seu terceiro título da competição, depois de ter levantado a taça em 1990 e 2006. Já o Atlético tenta entrar para a história como o primeiro time do Paraná a levantar a taça. O arquirrival Coritiba chegou à final nas duas últimas edições, mas acabou sendo derrotado por Vasco em 2011 e Palmeiras em 2012.

Leia também:

Leia também: Após 1 a 1, Flamengo celebra ‘pequena vantagem’ na final

O resultado do jogo de ida colocou o Flamengo numa situação mais confortável, algo que o técnico Jayme de Almeida admite abertamente. “Posso dizer que temos uma vantagem, sim, mas ela é pequena, já que o adversário tem muita qualidade. Nosso time vem demonstrando ao longo desta Copa do Brasil que conseguiu maturidade suficiente para decidir as partidas e fazer o que precisa para ganhar. Isso é o que me deixa mais confiante para o jogo”, explicou ele. O elenco também está confiante, mas destaca um outro motivo para sonhar com uma conquista nesta quarta. “Acredito que o Maracanã será o nosso principal aliado. A torcida teve um papel fundamental nesta Copa do Brasil. Teremos a oportunidade de decidir com ela do nosso lado e temos que aproveitar”, disse o lateral Léo Moura, um dos atletas mais experientes do elenco.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Pelo rubro-negro paranaense, “fazer história” é o mantra do elenco desde a classificação para a finalo. Perto de um título inédito, os jogadores querem colocar sua marca na sala de troféus do clube, conquistar uma vaga direta para a Libertadores e ainda calar um Maracanã lotado. Mesmo jogando fora de casa e sob pressão, o técnico Vagner Mancini sabe que seu time precisará de equilíbrio e concentração no jogo. Por isso, a primeira definição para a final foi a escolha do substituto do meia Éverton, peça fundamental da equipe. Felipe, com boa atuação na goleada sobre o Náutico, deve ganhar a vaga. “Não tenho como mudar a forma do Atlético jogar. O Atlético é um time de surpreender, que tem a transição com muita velocidade”, disse ele. Pouco mais de 6.000 atleticanos conseguiram um ingresso para acompanhar o time de perto na tentativa de ganhar a Copa do Brasil pela primeira vez.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade