Clique e assine com até 92% de desconto

Final entre Real Madrid e Barça tem escândalo com VAR… no basquete

O clube catalão venceu a Copa do Rei em um lance de análise controversa da arbitragem. Real protestou e ameaçou abandonar competições nacionais

Por Da Redação 19 fev 2019, 15h22

O Barcelona foi campeão da Copa do Rei de basquete ao vencer o Real Madrid por 94 a 93, na prorrogação, em final realizada em Madri, no último sábado, dia 17. A vitória catalã foi conquistada após uma análise controversa da arbitragem, com o auxílio do vídeo, do lance decisivo da partida, que revoltou os madridistas.

O Real Madrid vencia a partida por 93 a 92 nos segundos finais da prorrogação, quando o pivô croata Ante Tomic, do Barcelona, tentou fazer a bandeja, mas foi bloqueado pelo ala esloveno Anthony Randolph e o tempo acabou. A arbitragem se reuniu para rever o lance na TV ao lado, uma espécie de VAR (árbitro assistente de vídeo, na sigla em inglês).

Os juízes, depois de analisarem o lance por 51 segundos, decidiram validar a cesta que deu o título ao Barcelona, entretanto, o replay da jogada mostrou que Randolph atingiu a bola antes dela tocar na tabela, o que configura um toco legal. A ACB, confederação que organiza os torneios espanhóis, divulgou uma nota em que reconhece os ‘erros graves’ dos árbitros, mas não os puniu, gerando revolta do time de Madri.

  • Os juízes também se equivocaram no lance anterior, quando o ala sueco Jeffery Taylor pegou um rebote ofensivo e levou um tapa no braço, mas nada foi marcado. Os erros que custaram o título da Copa do Rei estão sendo levados a sério pelo Real Madrid, que estuda meios legais de abandonar os torneios domésticos da ACB. O problema é que para disputar a Euroliga, maior campeonato continental, o clube precisa disputar um torneio nacional.

    Segundo o jornal espanhol Marca, o Real Madrid considera inaceitável o comunicado da ACB e exige que a confederação explique os critérios utilizados pelos juízes ao revisar o lance e que os puna com uma sanção dura. O clube não se conforma com o fato de um equívoco decidir o campeonato, mesmo com 11 câmeras disponíveis.

    Continua após a publicidade
    Publicidade