Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fifa reforça combate ao doping em seus eventos no Brasil

Copa das Confederações e Mundial terão programa de passaporte biológico

Todos os jogadores que disputarão a Copa das Confederações deste ano e a Copa do Mundo de 2014 serão submetidos a um programa de passaporte biológico que a Fifa começará a implantar nos próximos meses, com o objetivo de reforçar o combate ao doping. A informação foi divulgada nesta sexta-feira pela entidade. Na quinta, o presidente da federação, Joseph Blatter, e seu secretário-geral, Jérôme Valcke, receberam na sede da Fifa, em Zurique, os dirigentes da Agência Mundial Antidopinga (Wada, na sigla em inglês). No início da semana, esses especialistas afirmaram que o futebol “poderia fazer mais contra o doping” e disseram que a modalidade deveria adotar medidas mais eficazes, como o passaporte biológico.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

“Nosso compromisso é ter o passaporte biológico de todos os jogadores que participarem na Copa do Mundo de 2014”, destacou o belga Michel D’Hooghe, presidente da comissão médica da Fifa. O passaporte biológico da Fifa terá não só um componente sanguíneo – cujo objetivo é detectar as transfusões sanguíneas, de EPO o de outros produtos destinados a melhorar a resistência -, mas também para detectar o uso de esteróides anabolizantes, com base em exames de urina. Ao contrário de um exame antidoping convencional, no qual se identifica a substância proibida no sangue ou urina de um atleta, o passaporte biológico tem como objetivo descobrir os efeitos do doping no organismo.

(Com agência France-Presse)