Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fifa manterá Catar-2022 – o pior erro da história das Copas

Blatter adia decisão sobre troca de data e se irrita diante de questionamento sobre a realização do torneio no país - uma escolha cada vez mais criticada

Por Da Redação - 4 out 2013, 10h38

“Não sei se será no verão ou no inverno, mas a Copa do Mundo de 2022 será disputada no Catar. E aí está”, avisou o cartola suíço

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou recentemente que o Brasil pode ter sido uma opção equivocada para sediar a Copa do Mundo de 2014. Mesmo com os gastos exagerados e desnecessários, mesmo com os tropeços na organização e mesmo com a possibilidade de surgimento de elefantes brancos no país depois do torneio do ano que vem, o Brasil já parece uma escolha absolutamente certeira – pelo menos se comparada à vitória da candidatura do Catar para receber o evento em 2022. Nesta sexta-feira, na sede da Fifa, em Zurique, na Suíça, Blatter avisou que não existe a menor chance de repensar a decisão de levar o Mundial ao Oriente Médio pela primeira vez – e, com isso, confirmou que a Fifa insistirá no maior erro da história das Copas. Cada vez mais criticado, tanto pelas suspeitas que cercaram sua escolha como pelos problemas surgidos desde então, o Catar parece não correr risco de perder o torneio. Blatter ficou irritado e se negou a responder a uma pergunta sobre a pressão crescente pela mudança de sede. Também prometeu enviar uma força-tarefa ao Catar para verificar a condição de trabalho dos imigrantes que erguem alguns dos projetos ligados à Copa – de acordo com reportagem do jornal The Guardian, dezenas de nepaleses já morreram em decorrência das condições de trabalho desumanas.

Leia também:

Sede da Fifa é alvo de protestos contra a Copa do Catar

Continua após a publicidade

Copa no Catar: europeus apoiam mudança para o inverno

Governos europeus apoiaram Copa no Catar, diz Blatter

Copa no Catar: vice da Fifa diz que atletas são prioridade

Blatter admite erro com Copa de 2022 no verão do Catar

Continua após a publicidade

Ainda que essa denúncia seja comprovada de perto pela Fifa, Blatter nem sequer pensa em tirar o Mundial do país. A outra grande encrenca relacionada ao torneio também segue indefinida: a mudança de data por causa das altíssimas temperaturas no Catar durante o verão ficou para 2014. “Isso só será decidido depois da Copa no Brasil”, avisou Blatter, que encarregou o secretário-geral Jérôme Valcke de apresentar possíveis alternativas para o calendário na reunião do Comitê Executivo da Fifa na Costa do Sauípe, Bahia, em dezembro. Blatter foi questionado mais uma vez sobre o equívoco da Fifa ao conceder o Mundial a um país onde é impossível praticar futebol sem colocar em risco a saúde dos jogadores no período em que o torneio sempre aconteceu, no meio do ano. O cartola suíço reconheceu que esse problema foi subestimado, mas não quis comentar os motivos que levaram a entidade a ignorar esse obstáculo na hora de eleger o Catar como sede. No fim da entrevista coletiva, reconheceu que houve influência política na votação, mas ressaltou que isso é “comum” em qualquer processo desse tipo. Antes de se despedir, o dirigente voltou a fechar a porta para a discussão sobre a mudança de sede. “Não sei se será no verão ou no inverno, mas a Copa do Mundo de 2022 será disputada no Catar. E aí está.”

Publicidade