Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fifa diz que Blatter não está envolvido e mantém eleição

Porta-voz afirma que a entidade está cooperando com as investigações e diz que Copas do Catar e da Rússia estão mantidas

A Fifa negou qualquer envolvimento na operação surpresa que prendeu nesta quarta-feira, na Suíça, sete dirigentes da entidade acusados de corrupção, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin. Em seu site oficial, a Fifa divulgou um comunicado de apoio às “ações que possam ajudar a erradicar qualquer irregularidade no futebol” e afirmou que as prisões efetuadas nesta manhã referem-se a “atividades realizadas em negócios com a Concacaf e a Conmebol”, as confederações das Américas Central e do Norte e a da América do Sul, sem qualquer envolvimento com a Fifa.

Ex-presidente da CBF e dirigentes da Fifa são detidos na Suíça por corrupção

Luís Figo: ‘A Fifa não é transparente’

Radar: Marin, o Zé das Medalhas

O diretor de Comunicações da entidade, Walter De Gregorio, concedeu uma entrevista de emergência na sede da Fifa, e garantiu que nem o presidente e candidato à reeleição, Joseph Blatter, nem seu secretário-geral, Jérôme Valcke, estão envolvidos nas investigações judiciais por corrupção.

Apesar do anúncio do escândalo, a Fifa manteve a eleição presidencial – que terá como candidatos Blatter e o jordaniano Ali Bin al-Hussein -, para esta sexta-feira. A entidade também assegurou que Rússia e Catar estão mantidas como sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022, respectivamente, mas a Fifa admitiu ter pedido ao Ministério Público da Suíça que investigasse a eleição dos dois países como sede dos torneios.

“Os Mundiais acontecerão na Rússia e Catar. Isso é um fato hoje. Não podemos especular sobre o que acontecerá amanhã ou depois de amanhã. Isto é o que posso dizer agora”, disse De Gregorio.

(com agência EFE)