Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Fifa arrecada R$ 1,3 bi com venda de direitos para a Copa

Lucro da entidade em 2013 chegou aos R$ 167,3 mi - o maior da história

Por Da Redação - 21 mar 2014, 16h40

Após a reunião de seu Comitê Executivo, em Zurique, na Suíça, nesta sexta-feira, a Fifa apresentou seu relatório financeiro anual. Graças, principalmente, à venda dos direitos de televisão da Copa do Mundo, com arrecadação de 601 milhões de dólares (1,3 bilhão de reais), e o marketing, com 404 milhões de dólares (938,8 milhões de reais), a entidade recebeu 1,3 bilhão de dólares (mais de 3 bilhões de reais) em 2013, com um lucro de 72 milhões de dólares (167,3 milhões de reais) – o maior da história.

Leia também:

Publicidade

Em Zurique e São Paulo, Fifa discute a ‘corrida’ até a Copa

Na Fifa, preocupação com entrega do Itaquerão só cresce

Publicidade

Fifa pede que estádios não recebam shows até a Copa

Custo total da Copa poderá chegar aos 30 bilhões de reais

As despesas da Fifa também foram altas: chegaram a 1,3 bilhão de dólares (mais de 3 bilhões de reais), incluídos os 1,7 bilhão de reais em gastos relacionados aos torneios realizados pela entidade, 425,2 milhões de reais para o financiamento de projetos de desenvolvimento do esporte e responsabilidade social, quase 502 milhões de reais relacionados a outros custos operacionais e 39,5 milhões de reais em impostos. O número de funcionários na Fifa cresceu de 412 em 2012 para 452 no ano passado.

Leia também:

Publicidade

Brasil, 100 dias para a Copa do Mundo. Sem dias a perder​

Para 9 entre 10 torcedores, Copa deixará imagem negativa

Sedes rasgam os contratos – e arranham imagem da Copa

“É incrível ver como, mesmo em um mundo com tantas dificuldades, há mercado para o futebol. Estamos crescendo. Ganharemos mais dinheiro na Rússia (na Copa de 2018) e no Catar (em 2022), porque o crescimento financeiro não é relacionado ao lugar onde a Copa é realizada, mas ao seu valor. Esse é um evento único”, disse Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa. Segundo ele, os recordes de venda de ingressos e camarotes locados nos centros de hospitalidade foram batidos. “Isso mostra a importância do futebol no Brasil. É uma lenda. Todos querem ver essa Copa, estejam elas dentro ou fora do país.”

Publicidade

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Até o dia 31 de dezembro do ano passado, o balanço da Fifa totalizou 3,1 bilhões de dólares (7,2 bilhões de reais), com reservas de 1,4 bilhão de dólares (3,2 bilhões de reais). No relatório, a Fifa afirmou que a criação de reservas é importante para a estratégia da entidade e seu crescimento.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade