Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

FIFA aprova uso de tecnologia na linha do gol para Copa de 2014

Por Sebastien Bozon
5 jul 2012, 15h32

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciou nesta quinta-feira a aprovação do uso da tecnologia na linha do gol em alguns torneios, entre eles o Mundial de Clubes de 2012, no Japão, a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014, ambas disputadas no Brasil.

A decisão foi tomada pelo International Board (Ifab), órgão que garante as regras do jogo.

O IFAB também autorizou a arbitragem a cinco (com um assistente atrás de cada gol), já usada na Liga dos Campeões e na Eurocopa, para todas as competições oficiais.

Outra decisão importante foi a de liberar o uso do véu islâmico (hijab) durante as partidas, medida tomada para ampliar a prática do futebol para as mulheres muçulmanas em países nas quais são impedidas de jogar devido a restrições religiosas de certas comunidades.

A utilização da tecnologia na linha do gol será aplicada apenas após “um teste de instalação final em cada estádio antes que os sistemas sejam usados para partidas oficiais”, explicou a Fifa num comunicado.

Continua após a publicidade

As duas empresas que participaram da segunda fase de testes, entre março e junho deste ano, a Hawy-Eye (sistema baseado na utilização de câmeras de vídeo, já usado no tênis) e a GoalRef (sistema que propõe o uso de um campo magnético que detecta a passagem da bola), foram aprovadas.

Estimulado pelo presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, o Ifab aceitou abrir brechas para o possível uso da tecnologia em outubro de 2010, três meses após a polêmica do ‘gol’ fantasma da Inglaterra sobre a Alemanha na Copa do Mundo disputada na África do Sul.

Na ocasião, as imagens do vídeo da partida mostraram nitidamente que a bola chutada pelo meia Franck Lampard quicou atrás da linha do gol após bater no travessão, mas o gol não foi validado e os ingleses acabaram perdendo por 4 a 1 nas oitavas de final da competição.

Outro erro de arbitragem semelhante foi cometido no dia 19 de junho, em uma partida da fase de grupos da Eurocopa-2012, desta vez a favor da Inglaterra, quando um gol marcado pelo ucraniano Marko Devic foi anulado depois de a bola ter passado da linha antes de ser afastada pelo zagueiro John Terry.

Continua após a publicidade

No dia seguinte, Blatter manifestou a sua indignação na sua conta da rede social Twitter. “Depois do jogo de ontem, a tecnologia na linha do gol não é mais uma possibilidade, é uma necessidade”, afirmou o presidente da Fifa.

Já o presidente da União Europeia de Futebol, o ex-craque francês Michel Platini, desafeto de Blatter, continuou se mostrando “absolutamente contra” esta medida mesmo depois desta nova polêmica.

“Se usarmos tecnologia na linha do gol, porque não usá-la também na linha de fundo? E se o vídeo flagrar uma mão que o árbitro não viu? Não sou contra a tecnologia na linha do gol em si, mas sou contra a chegada da tecnologia no futebol porque sei que isso não vai parar por aí”, comentou o dirigente.

Platini sempre defendeu a arbitragem a cinco, autorizada nesta quinta-feira pelo Ifab em todas as competições.

Continua após a publicidade

A Uefa já tinha usado este sistema nas duas últimas edições da Liga dos Campeões e na Eurocopa-2012.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.