Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ferrari torce por tropeço da Red Bull para garantir tricampeonato de Alonso

Equipe italiana, que está atrás no GP Brasil, acredita que imprevistos durante a corrida podem abrir espaço para garantir o prêmio

Por Da Redação - 24 nov 2012, 12h16

A equipe da Ferrari não esconde que torce por um tropeço da rival Red Bull para garantir um troféu e os 100 milhões de dólares em premiação no Grande Prêmio do Brasil, no Autódromo de Interlagos. Isso porque, depois de ficar aquém do esperado nos treinos livres de sexta-feira, o piloto da equipe italiana precisa vencer a corrida e torcer para que Sebastian Vettel, da Red Bull, não passe do quinto lugar para se consagrar tricampeão.

“Não temos nada a perder, porque já estamos atrás (no campeonato). Temos que encarar essa corrida com uma abordagem racional e estar ali para o caso de acontecer alguma situação inesperada. Devemos estar preparados para aproveitar (a oportunidade). Esse é o espírito da equipe neste momento”, disse Stefano Domenicali, chefe da equipe da Ferrari.

Leia também:

Alonso e Vettel: cautela com a decisão no domingo

Continua após a publicidade

De olho nestas eventuais “situações”, Domenicali torce por chuva neste domingo. “Pode ser bom porque vai embaralhar os carros, mas isso vai depender da intensidade da chuva. É mais um fator colocado sobre a mesa, que deve ser utilizado da melhor forma possível.”

Enquanto a Ferrari tenta jogar a pressão sobre a Red Bull, Christian Horner, chefe da equipe de Vettel mostra tentar manter cautela, apesar da empolgação em torno do possível tricampeonato do piloto da Red Bull. “O clima está fantástico. Mas estamos muito concentrados. Estamos encarando esta corrida da mesma forma que fizemos com as 19 anteriores. Sabemos que precisamos extrair o máximo de todos nós.”

Nem mesmo a previsão de chuva para domingo parece afetar a confiança de Horner. “No fim do dia, será a mesma situação para todos. Quem quiser vencer este campeonato terá que mostrar desempenho em diferentes condições. Não temos nada garantido, apesar dos 13 pontos de vantagem. Sabemos por experiência própria que as coisas podem mudar rapidamente aqui.”

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade