Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Felipe Wu conquista ouro inédito na Copa do Mundo de tiro esportivo

Por Da Redação 5 mar 2016, 12h42

Pela primeira vez na história, um atleta do Brasil conquistou uma medalha de ouro no tiro esportivo durante a Copa do Mundo de Tiro Esportivo em Bangkok, na Tailândia. O responsável foi Felipe Almeida Wu, que venceu a prova de dez metros com pistola de ar de 10 metros. Dos 47 concorrentes que iniciaram, a final ficou entre Wu e o americano Will Brown. A decisão aconteceu apenas no último tiro: nos últimos dois tiros, enquanto o representante dos Estados Unidos conseguiu 10.2 e 9.7 pontos, o brasileiro marcou 10.5 e 10.2. Assim Wu terminou com 201,9 pontos, cinco décimos a mais que o adversário, e ficou com o ouro.

Felipe vem se estabelecendo como um grande nome do tiro esportivo no Brasil. O paulista acredita que o resultado da Copa do Mundo não foi por acaso, e mostrou-se mais realizado com o feito. “É incrível, estou extremamente feliz. O trabalho duro foi recompensado hoje. Há dois anos eu tenho treinado mais, e os resultados vieram junto com os esforços: eu venci os Jogos Pan-Americanos de 2015 e agora estou no topo do pódio da primeira Copa do Mundo da temporada”, afirmou o atleta.

Leia também:

Brasileira conquista ouro inédito no tiro esportivo

Saiba como acompanhar as competições dos Jogos Mundiais Militares

Wu também ressaltou que os olhos do mundo estão voltados para o país este ano, uma vez que sediará das Olimpíadas. O paulista ressaltou como a conquista é importante para, uma vez que ajuda a divulgar o esporte. “Este é um ano muito importante para o Brasil e para o esporte brasileiro. Nós temos toda a atenção em nós. A mídia começou a nos seguir e nos dar mais atenção por causa dos Jogos. Isso é crucial, especialmente para o tiro esportivo, que não é tão popular no país. Vencer o primeiro jogo internacional do ano ajuda a construir a confiança. Eu vou continuar trabalhando para estar pronto em agosto”, disse Wu. A terceira colocação foi do vietnamita Vinh Xuan Hoang.

Felipe Wu só mira um alvo: a medalha

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade