Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Felipão revela apreensão: Se eles fizessem antes, ficaria difícil

Por Da Redação Atualizado em 19 jul 2016, 13h55 - Publicado em 24 Maio 2012, 00h52

A aparente tranquilidade do Palmeiras para obter a vaga na próxima fase da Copa do Brasil não foi sentida pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Apesar do triunfo por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, na noite desta quarta-feira, o treinador revelou que estava preocupado com a possibilidade de o Furacão sair na frente no placar na Arena Barueri.

‘Claro que tinha receio de que o Atlético saísse na frente, porque é uma equipe muito boa. Se eles fizessem primeiro, seria difícil para a gente chegar lá. E eu tinha mesmo de comemorar os gols. No segundo, o Maikon colocou a bola onde o Valdivia sempre se apresenta e o Henrique cabeceou de onde trabalhamos durante a semana. É bom vibrar’, comentou.

O Verdão saiu na frente no placar, aos 24 minutos do segundo tempo, quando Luan mandou para as redes. Já o zagueiro deu números finais ao placar depois de cobrança de escanteio. Mesmo com a preocupação de Felipão, o time paranaense quase não teve chance para balançar as redes durante todo o jogo.

‘Vivemos apreensão no banco e os jogadores sentiram durante a partida, porque o resultado de 0 a 0 é sempre muito difícil e ruim. Claro que, quando fizemos o primeiro gol, a equipe ficou mais relaxada. E o Maikon soltou-se mais com a bola pelo lado do campo. O jogo foi muito bem jogado pelas duas equipes’, acrescentou.

O jogo desta quarta-feira estava com poucas emoções até o momento em que Felipão alterou a equipe, colocando Luan e Maikon Leite nas vagas de Betinho e Mazinho. O treinador aproveitou a velocidade dos dois jogadores contra o cansaço da zaga rubro-negra.

‘São alterações que fizemos no decorrer do jogo, quando o adversário já estava extenuado. Coloquei um com força para ir e voltar, que é o Luan. E outro com velocidade incrível, que leva vantagem sobre atletas mais cansados. São opções melhores que tenho em relação ao grupo que tinha anteriormente. Eles vão complicando minha vida na hora de escalar os jogadores’, ponderou.

Aliviado com a classificação, Felipão até elogiou o desempenho do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, que faz parte dos quadros de Minas Gerais, com escudo da Fifa.

‘Muitas vezes, a gente se expressa sobre arbitragem. Antes deste jogo, consultei o Benecy Queiroz, que é dirigente do Cruzeiro e meu amigo de longa data. Ele disse que eu poderia ficar tranquilo. O árbitro apitou normalmente e é disso que precisamos’, concluiu.

Continua após a publicidade
Publicidade