Clique e assine a partir de 9,90/mês

Felipão concorda com sua suspensão por dois jogos e elogia STJD

Por Da Redação - 24 ago 2011, 15h39

O técnico Luiz Felipe Scolari não discordou da suspensão de dois jogos imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Denunciado em artigos que poderiam dar pena de até 720 dias, o treinador elogiou os critérios do STJD e afirmou que recuperou sua confiança no futebol.

‘De todos os julgamentos, foi um dos que mais me identifiquei, porque fui obrigado a assistir a cinco casos antes do meu. Em todos, eu me colocava no papel dos julgadores, que agiram de forma que qualquer técnico espera ser o correto. Entendi como certo pegar dois jogos, porque sou reincidente. Pela primeira vez, pude também fazer algumas perguntas ao Tribunal e as respostas me satisfizeram’, comentou o pentacampeão, que terá de cumprir o gancho contra Corinthians e Botafogo.

Apesar de não ter detalhado quais foram seus questionamentos ao STJD, Felipão explicou que suas atitudes em campo podem ser norteadas pelas respostas dos auditores. O treinador, inclusive, chegou a se dizer satisfeito com tudo o que se passou na noite de segunda-feira.

‘Eu fiquei feliz. Pela primeira vez, comecei de novo a ter certeza de que não posso ver o futebol só pela parte ruim. Eles julgam de forma correta. Voltei a pensar que o futebol não é só sacanagem, tem também pessoas boas’, afirmou.

Continua após a publicidade

Scolari foi punido em função da expulsão na vitória sobre o Atlético-MG. Na súmula da partida, o árbitro Sandro Meira Ricci relatou que, após reclamar de um lance, o treinador palmeirense ‘gritou para seus jogadores, batendo o dorso de uma mão contra a palma da outra mão: ‘Podem chegar o pau! Cheguem o pau! Eles não dão nada mesmo!”. Além disso, o árbitro escreveu que o técnico teria ofendido o assistente Roberto Braatz.

‘O que foi bom no julgamento é que as sumulas estavam ali, mas (o STJD) não se atem apenas a isso, as pessoas analisam. Teve o julgamento do Domingos, do São Caetano, que fez uma coisa normal. Foi relatado como ato de violência horrível, mas o pessoal olhou e viu que era do futebol, um tranco normal. Ele foi absolvido’, elogiou.

Publicidade