Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Felipão atribui atuações ruins à parte psicológica

Por Da Redação 16 abr 2012, 10h24

Por Daniel Akstein Batista

São Paulo – Os maus resultados nos últimos jogos são difíceis de engolir para a torcida do Palmeiras, mas o técnico Luiz Felipe Scolari tenta achar algumas explicações. E, para ele, uma delas é a condição psicológica dos jogadores, que no último domingo sofreram para empatar por 2 a 2 com o rebaixado Comercial, no Pacaembu, na rodada final da primeira fase do Campeonato Paulista.

“A queda de rendimento é muita mais pelo fator psicológico. A função do técnico e dos jogadores agora é trabalhar em cima desses resultados ruins, para ter uma estabilidade maior nos próximos jogos”, declarou.

Felipão volta a lembrar que o time vem sofrendo há anos a responsabilidade de conquistar algum título. E que com o passar do tempo isso só piora. “Nossa queda provavelmente seja pela pressão por chegar às finais e passar. Se jogar com tranquilidade, sem a pressão de ir pra final, pode ser que o time volte a jogar como estava sendo”, analisou o treinador.

A sequência de tropeços aparece bem num momento decisivo para o clube. Além do Estadual, o time está também nas oitavas de final da Copa do Brasil. E, como lembram todos do elenco, não há mais margem para erros. “Agora são dois jogos eliminatórios quase diretos, domingo contra o Guarani e quarta-feira pela Copa do Brasil”, lembrou Felipão. “Um resultado positivo já faz com que o grupo se estabilize e volte a jogar normalmente.”

O treinador, porém, sabe que terá pouco tempo para corrigir todos os erros. “Temos de mostrar em vídeo, em treinamento, trabalhar e corrigir. E mostrar que o poder de superação é maior que os erros é a função da gente agora.”

Continua após a publicidade

Publicidade