Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Felipão apoia a equipe e descarta fazer mudanças radicais

Irritado com críticas dos comentaristas, técnico avisa que apostará nos seus jogadores até o fim, e que só pensa em poucas variações em seu time titular

“Eu só penso no que tenho de pensar, coloco no campo a equipe que acho que tenho de colocar. Se vai classificar ou não, é um assunto meu”, irritou-se Felipão

O empate sem gols com o México, na terça-feira, em Fortaleza, não abalou a confiança de Luiz Felipe Scolari em seu time. Longe disso, aliás: o técnico já avisou que não vai desperdiçar um dos principais trunfos de sua equipe nesta Copa do Mundo – o entrosamento conquistado desde o primeiro semestre do ano passado, quando a equipe titular tomou forma – só por causa da insatisfação de torcedores e comentaristas com o desempenho de alguns atletas. O histórico de Felipão é cheio de episódios em que o técnico reage às críticas e cobranças cacifando ainda mais os jogadores que escolheu, sem trocar a escalação nem o esquema tático e apostando na união da equipe para se recuperar. Não deve ser diferente neste Mundial – e o próprio treinador já deu sinais de que está irritado com o que enxerga como pressão para que troque alguns de seus titulares mais importantes, ainda que eles não estejam bem.

Leia também:

Na batalha de Fortaleza, mexicanos frustram o Brasil: 0 a 0

Felipão ficou ‘satisfeito’ – irritação, apenas com a imprensa ​

Guillermo Ochoa, o milagreiro dos mexicanos, parou Neymar

Invasão mexicana abafa barulho dos torcedores cearenses

Castelão-2014 mostra o que todos os estádios deveriam ser

Os atletas mais cornetados desde a estreia são Fred (que, apesar de ter conseguido o pênalti que abriu caminho para a vitória sobre a Croácia, não tem feito boas apresentações e pouco ameaçou os goleiros adversários) e Paulinho (com atuações bem abaixo do que mostrou na Copa das Confederações) – mas há gente reclamando também dos laterais Daniel Alves e Marcelo, peças essenciais do time que não foram tão eficazes até agora. Não importa: o técnico da seleção deixa claro que cogita apenas algumas variações, e que o time titular não tem chance de sofrer transformações profundas ao longo da competição. “O time é esse, com uma ou outra variação, com a entrada de um ou outro jogador, como aconteceu com o Ramires nesta partida”, disse o técnico. “Pode até ser que eu tenha outra substituição para o início contra Camarões, mas essa é uma equipe em que eu confio plenamente”, reafirmou.

Sem conseguir esconder a impaciência com as perguntas dos jornalistas sobre o desempenho de alguns atletas, o treinador reclamou dos comentaristas que palpitam sobre seu time e cobram trocas na escalação. “Eu já disse dez vezes: vocês que fazem ilações, pensam A, B, C ou D. Eu só penso no que tenho de pensar, coloco no campo a equipe que acho que tenho de colocar. Se vai classificar ou não, é um assunto meu. Vocês podem montar todas as equipes que quiserem, mas não são capazes de mudar meu pensamento.”

Felipão deixou em aberto o retorno de Hulk, poupado do jogo de terça, na partida que fecha a participação brasileira na fase de grupos, na segunda, em Brasília. “Ele tinha condição de jogar, mas optei pelo Ramires. Agora ele vai trabalhar normalmente nesta semana e, se achar que está melhor, tem chance de voltar.” Hulk saiu do Castelão aparentando ter ficado descontente com a decisão do técnico. De folga nesta quarta, a equipe volta a treinar na quinta, na Granja Comary, em Teresópolis.