Clique e assine a partir de 8,90/mês

Federer salva sete ‘match points’ e avança à semifinal na Austrália

Em busca de seu 21º título de Grand Slam, suíço de 38 anos enfrentará na próxima fase o sérvio Novak Djokovic

Por Da Redação - Atualizado em 28 jan 2020, 11h28 - Publicado em 28 jan 2020, 10h55

Roger Federer suou a camisa para chegar à semifinal do Aberto da Austrália 2020. Em quatro horas de partida, o tenista suíço de 38 anos precisou salvar sete match points no quarto set para bater o americano Tennys Sandgren nesta terça-feira, 28, por 3 sets a 2, com parciais de 6/3, 2/6, 2/6, 7/6 (10/8) e 6/3.

O tenista número 3 do ranking da ATP sofria visivelmente com o calor e algum incômodo físico diante de Sandgren, 100º do mundo. “Sentia uma dor na virilha… Não gosto de recorrer ao médico, não gosto de mostrar minhas fraquezas”, admitiu, após a partida.

“Hoje tive uma sorte incrível, fui melhorando meu jogo à medida que a partida avançava e que diminuía a pressão”, declarou Federer, que salvou três match points quando perdia por 5-4 e outros quatro, três deles consecutivos, no tie-break do quarto set.

“Hoje não merecia a vitória, mas aqui estou e evidentemente muito feliz. Eu disse apenas: acredito em milagres”, comentou, em referência ao momento em que a derrota parecia inevitável. Federer é o recordista de títulos de Grand Slam com 20 troféus, mas vê Rafael Nadal na cola, com 19.

Nas semifinais, Federer enfrentará o sérvio Novak Djokovic (segundo do ranking), que bateu o canadense Milos Raonic (35º), por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 6/3 e 7/6 (7/1). “Preciso jogar melhor nas semifinais, porque em caso contrário certamente terei tempo para esquiar”, brincou Federer.

Continua após a publicidade

Depois de sua vitória, Djokovic prestou homenagens ao jogador de basquete Kobe Bryant, morto no domingo aos 41 anos. “Ele foi um dos maiores esportistas de todos os tempos. Inspirou eu e muitas pessoas ao redor do mundo. Tive a sorte de ter uma relação pessoal com ele nos últimos dez anos e sempre que precisei de apoio, ele esteve ao meu lado. Foi meu mentor, meu amigo, e foi de partir o coração saber o que aconteceu com ele e sua filha”, afirmou Djokovc, emocionado.

Os outros semifinalistas serão os vencedores dos duelos entre o suíço Stan Wawrinka e o alemão Alexander Zverev e entre o espanhol Rafael Nadal e o austríaco Dominic Thiem.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade