Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Federer minimiza criticas de Nadal e é atacado por Davydenko

Criticado pelo espanhol Rafael Nadal por não apoiar os jogadores em suas reivindicações à ATP, o suíço Roger Federer procurou minimizar o assunto nesta segunda-feira, dia que marcou o início do Aberto da Austrália. Ainda assim, foi atacado pelo russo Nikolay Davydenko.

‘Não podemos concordar em tudo sempre. Até agora, nunca houve problema’, disse o suíço, lembrando da época em que Nadal dizia que, se Federer tomasse uma determinada decisão, ele concordaria. ‘Hoje, o Nadal está mais maduro e tem uma opinião própria muito forte, o que eu acho ótimo’, completou.

Encurtar o calendário de torneios e mudar o sistema de premiacão são as duas principais reivindicações dos tenistas. De forma áspera, Nadal acusou Federer de adotar uma postura omissa: ‘para ele é conveniente não dizer nada e só falar coisas positivas, ele age como um cavalheiro e o resto que se expõe’. Um dia depois, no entanto, o próprio espanhol contemporizou.

‘Provavelmente, estou errado por dizer isso (à imprensa), especialmente porque essas coisas devem ficar no vestiário. Ainda tenho uma relação fantástica com o Roger e só disse que podemos ter visões diferentes sobre como o circuito deve funcionar’, declarou Nadal, que ainda prometeu não falar mais sobre o tema publicamente.

Ao longo dos últimos anos, Rafael Nadal e Roger Federer construíram uma das maiores rivalidades da história do tênis. Em 26 jogos entre 2004 e 2011, o espanhol conta com 17 triunfos, seis deles em finais de Grand Slam. A decisão de Wimbledon-2008 é lembrada como uma das melhores partida de todos os tempos.

Se Nadal e Federer colocaram panos quentes na polêmica, Davydenko detonou. ‘Eu não sei porque o Roger não está apoiando os jogadores. Ele não quer problemas. Ele é um cara legal. Ele está vencendo Grand Slams. Ele é suíço. Ele é perfeito. Ele não quer fazer nada, só está tentando ficar fora dessa’, reclamou o russo, ex-número 3 do mundo.

Os questionamentos surgiram depois de uma reunião organizada pelos jogadores para discutir o andamento no circuito no último sábado. Ao se defender das críticas por não adotar a mesma postura de astros como Nadal e o sérvio Novak Djokovic, Federer garantiu que sua relutância em fazer declarações públicas não significa falta de apoio.

‘Eu estava na reunião. Entendo e apoio completamente as opiniões dos jogadores. Apenas tenho uma maneira de diferente de abordar isso. Não discuto isso com vocês (jornalistas) na sala de imprensa. Infelizmente, isso cria história negativas às vezes’, afirmou.

Os jogadores planejam fazer uma nova reunião no Masters-1000 de Indian Wells, em março. Davydenko disse que entrar em greve é uma possibilidade distante, mas pediu providências. ‘A ATP deve tentar fazer alguma coisa até Indian Wells’, encerrou o russo.