Federação ucraniana pune Taison por reagir a insultos racistas

Brasileiro não se calou diante das imitações de macaco a cada vez que tocava na bola; entidade que representa os futebolistas profissionais condenou a pena

Por Da Redação - 21 nov 2019, 17h34

O atacante Taison, do Shakhtar Donetsk foi punido pela Federação Ucraniana de Futebol nesta quinta-feira 21 por reagir a insultos racistas de torcedores do Dínamo de Kiev, em jogo realizado na semana passada, pelo campeonato nacional. O brasileiro, na ocasião, se revoltou e foi expulso por apontar o dedo médio e chutar uma bola em direção aos torcedores rivais.

A federação condenou o Dínamo de Kiev a jogar uma partida de portões fechados e pagar multa equivalente a cerca 87 000 reais. A decisão, no entanto, não foi o bastante para evitar polêmica nas redes sociais, onde a punição controversa de Taison foi contestada até mesmo pela pela FIFPro, organização que representa os jogadores profissionais.

“Estamos muito desapontados pela decisão da federação ucraniana. Sancionar uma vítima de abuso racial está além de nossa compreensão e favorece quem promove esse tipo vergonhoso de comportamento”, declarou a associação.

Após as injúrias raciais no confronto entre Dínamo e Shakhtar, o juiz paralisou a partida e os dois times saíram de campo. Quando o jogo recomeçou, o ex-atacante do Internacional foi expulso e começou a chorar. Dentinho, companheiro de Taison no Shakhtar, teve reação semelhante. Ambos foram amparados por jogadores dos dois clubes, enquanto o time do Dínamo se dirigiu para a arquibancada para pedir que os torcedores parassem com as ofensas.

Publicidade

Taison usou suas redes sociais para repudiar as ofensas raciais e pediu ‘mais respeito no futebol’ e uma sociedade antirracista. “Amo minha raça, luto pela cor. Jamais irei me calar diante de um ato tão desumano e desprezível! Minhas lágrimas foram de indignação e de impotência por não poder fazer nada naquele momento. Em uma sociedade racista, não basta não ser racista, precisamos ser antirracistas! O futebol precisa de mais respeito, o mundo precisa de mais respeito”, desabafou o jogador.

Publicidade

Dentinho, depois da partida, também se posicionou contra os atos de racismo. “Eu não queria comentar sobre o que aconteceu ontem, mas acho que não posso me calar diante de algo tão grave. Eu estava fazendo uma das coisas que mais amo na minha vida, que é jogar futebol, e, infelizmente, acabou sendo o pior dia da minha vida. Durante o jogo, por três vezes, a torcida adversária fez sons que lembravam macacos, sendo duas vezes direcionadas a mim. Essas cenas não saem da minha cabeça”, relembrou.

Publicidade