Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Federação russa confirma doping de medalhista olímpica

Bronze em Londres-2012, a nadadora Yulia Efimova foi flagrada pela segunda vez por uso de substância proibida

Mais um caso ampliou o escândalo de doping no esporte na Rússia. Medalhista de bronze na Olimpíada de Londres, em 2012, nos 200m peito, a nadadora Yulia Efimova foi flagrada pelo uso de uma substância proibida e foi suspensa temporariamente. Como é a segunda vez que é reprovada no antidoping pode ser banida do esporte. A Federação Russa de Natação confirmou nesta quinta-feira que recebeu documentos da Federação Internacional de Natação (Fina) informando sobre o doping de Efimova, que lidera o ranking mundial nos 100m e é segunda nos 200m peito.

Leia também:

Por doping, Sharapova perde cargo de embaixadora da ONU

Nem a Fina nem a federação russa confirmaram as suspeitas de que Efimova tenha usado Meldonium, conhecido como Mildronato, substância bastante utilizada por atletas do leste europeu, que passou a ser proibida este ano – a tenistas russa Maria Sharapova foi punida pelo uso dessa substância.

Leia também

O doping volta com tudo em 2016; relembre casos históricos

Efimova, de 23 anos, ganhou o Mundial de Natação nos 100m peito no ano passado em Kazan. Ela também venceu os 50m e os 200m peito em Barcelona, em 2013, e a prova mais curta em Roma, em 2009. No total, tem 10 medalhas em Mundiais, sendo nove em provas individuais no estilo peito e uma no 4x100m medley.

Em 2013, foi flagrada no exame antidoping pela primeira vez e suspensa por um ano e meio pelo uso de um esteroide anabolizante. A russa voltou às competições em fevereiro de 2015 e se destacou nas provas de 100m peito.

(Com Estadão Conteúdo)