Clique e assine a partir de 9,90/mês

Federação de natação dos EUA pede adiamento da Olimpíada de Tóquio-2020

Posição coloca ainda mais pressão no COI, que segue negando a necessidade de se tomar "medidas drásticas"

Por AFP - 20 mar 2020, 20h38

O clamor pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 ganhou um reforço de peso nesta sexta-feira, 20. A federação de natação dos Estados Unidos fez um apelo junto ao Comitê Olímpico e Paraolímpico do país para que defenda a suspensão dos Jogos diante da crise global causada pela pandemia do coronavírus.

Em uma carta dirigida à presidente do Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC), Sarah Hirshland, o diretor executivo de natação dos EUA, Tim Hinchey, pediu-lhe “respeitosamente” que advogasse pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 por um ano”, até 2021. “Solicitamos ao USOPC, como líder dentro do Movimento Olímpico, que use sua voz e fale em nome dos atletas”, disse Hinchey.

A federação de natação divulgou esta carta em sua conta no Twitter logo depois que os chefes do Comitê Olímpico americano disseram em uma entrevista coletiva que é necessário mais tempo para determinar o futuro dos Jogos de Tóquio. A natação, cuja maior potência são os Estados Unidos, é um dos esportes mais importantes da Olimpíada.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) realizou nesta semana uma série de videoconferências com os principais interessados na discussão: as federações esportivas internacionais e os comitês olímpicos de cada um dos países. O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, mantém a posição de que “ainda não é hora de se tomar uma atitude drástica” e pediu que os atletas sigam treinando para os Jogos.

Continua após a publicidade
Publicidade