Clique e assine com até 92% de desconto

F1: volta de Alonso embaralha dança das cadeiras para a temporada de 2021

Com vários contratos encerrando em 2020, a próxima temporada terá diversas mudanças na configuração das equipes

Por Danilo Monteiro Atualizado em 8 jul 2020, 16h16 - Publicado em 8 jul 2020, 14h50

A Renault anunciou nesta quarta-feira 8 a contratação do espanhol Fernando Alonso para a próxima temporada. Aos 38 anos, o piloto terá sua terceira passagem na equipe francesa, onde conquistou dois títulos mundiais em 2005 e 2006. Em 2018, ele havia anunciado sua aposentadoria da Fórmula 1.

“A Renault é minha família, minhas melhores memórias na Fórmula, com meus dois títulos mundiais, mas agora estou olhando para a frente. É um motivo de orgulho e de muita emoção retornar ao time que me deu a primeira oportunidade na categoria e agora me dá novamente a oportunidade de voltar ao mais alto nível”, declarou Alonso.

A equipe não conquista uma vitória na F1 desde 2008, na segunda passagem do espanhol. O insucesso dos últimos anos ameaça a participação da Renault na categoria e é um dos motivos para a contratação do espanhol. Alonso voltará a ser o rosto da equipe, apesar das poucas chances de a Renault entregar um carro competitivo a ele em pouco tempo.

  • “A contratação de Alonso faz parte do plano do grupo Renault de continuar seu compromisso com a F1 e retornar ao topo. Sua presença é um ativo formidável a nível esportivo, mas também para a marca à qual ele é muito apegado. A força do vínculo entre ele, equipe e fãs faz dele uma escolha natural. Além do sucesso do passado, é uma escolha ousada e um projeto para o futuro”, explicou Cyril Abiteboul, diretor da equipe.

    O discurso do chefe é comprado por Alonso, que projeta ser muito mais do que apenas um símbolo da Renault. “Tenho princípios e ambições conjuntas ao projeto da equipe. Vou compartilhar toda minha experiência de corrida com todos, dos engenheiros aos mecânicos. O time quer e tem como objetivo voltar ao pódio, assim como eu”, finalizou o espanhol.

    Alonso é mais um dos pilotos a integrar a “dança das cadeiras” da Fórmula 1 em 2021. A começar pela própria Renault, que perderá sua estrela, o australiano Daniel Riccardo, para a McLaren no final do ano. Com o atraso no início da temporada, por causa da pandemia de coronavírus, alguns pilotos correrão por suas equipes já estando com contrato assinado com outra para o próximo ano, que promete ter muitas novidades e incertezas.

    O alemão Sebastian Vettel reclamou de ter sido avisado por telefone que a Ferrari não renovaria seu contrato ao final desta temporada. “Foi uma surpresa. Nunca tivemos qualquer discussão. Nunca houve uma oferta na mesa e, portanto, nenhuma discordância”, disse o tetracampeão, que será substituído na escuderia italiana por Carlos Sainz. Para 2021, a maioria das equipes ainda têm vagas disponíveis e os brasileiros Sérgio Sette Camara e Pietro Fittipaldi, pilotos reservas da Toro Rosso e Haas, têm chances, pois as duas equipes não acertaram nenhuma contratação até o momento.

    Confira os pilotos confirmados para 2021:

    Ferrari: Charles Leclerc e Carlos Sainz (ex-McLaren)
    RBR: Max Verstappen
    Mercedes: sem contratos até o momento
    McLaren: Daniel Riccardo (ex-Renault) e Lando Norris
    Renault: Fernando Alonso e Esteban Ocon
    Toro Rosso (AlphaTauri): sem contratos até o momento
    Alfa Romeu: sem contratos até o momento
    Racing Point: Sergio Perez
    Haas: sem contratos até o momento
    Williams: George Russell

    Continua após a publicidade
    Publicidade