Clique e assine a partir de 8,90/mês

F1: Red Bull pede igualdade e ameaça deixar a categoria

Equipe austríaca considera que regras da FIA favorecem a Mercedes

Por Da Redação - 16 mar 2015, 16h04

Depois de dominar a Fórmula 1 entre 2010 e 2013, a equipe Red Bull enfrenta dificuldades para aceitar as novas regras e a superioridade da Mercedes. Nesta segunda-feira, o diretor da escuderia austríaca, Helmut Marko, afirmou que a Red Bull pensa até em deixar a categoria, caso não sejam adotadas mudanças no regulamento e na organização da FIA. “Não estamos satisfeitos com os regulamentos da F1 nem com a forma com que está sendo administrada”, afirmou o dirigente depois do primeiro GP da temporada, em Melbourne, na Austrália, que teve vitória de Lewis Hamilton, seguido por Nico Rosberg. Segundo Marko, a FIA deveria interceder para reestabelecer o equilíbrio na disputa.

Leia também

Hamilton vence na Austrália e Nasr faz melhor estreia de um brasileiro

F1: Hamilton festeja pole e Rosberg minimiza diferença de tempo em treino

F1: piloto holandês pede prisão de chefe da Sauber

Continua após a publicidade

“Quando estávamos vencendo, difusores duplos foram proibidos, escapamentos foram alterados, a carroceria flexível foi banida, o mapeamento do motor mudou. Fizeram de tudo para nos tirar da liderança. Isso não aconteceu apenas com a nossa equipe, mas também com a McLaren e a Williams em anos anteriores. A FIA tem o poder de equalização. Acho que deveriam considerar isso.”

De acordo com o diretor, a equipe está avaliando se a experiência na F1 segue sendo financeiramente interessante. “Pensamos em sair caso a relação custo-benefício não seja mais sustentável.” Em Melbourne, o australiano Daniel Ricciardo chegou na sexta posição e o russo Daniil Kvyat nem largou por causa de uma falha no câmbio.

Resposta – O chefe da Mercedes, Toto Wolff, comentou, com ironia, as críticas de Marko. Ele aconselhou que os diretores da Red Bull fossem a Jerusalém, “onde existe um muro próprio para lamentações” e disse que os pedidos de mudanças deveriam ter sido feitos antes da primeira etapa da temporada e não após mais uma vitória da Mercedes.

A Red Bull investe pesado na F1 desde 2005 em duas escuderias, a RBR e a Toro Rosso – na última, costuma apostar na formação de jovens pilotos. Agora na Ferrari, o alemão Sebastian Vettel conquistou seus quatro títulos pela Red Bull, entre 2010 e 2013.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade