Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EXCLUSIVA AFP – Diretor do COL diz que obras da Copa estão sob controle

O diretor executivo de operações do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014 (COL), Ricardo Trade, disse, em entrevista exclusiva à AFP, que o andamento das obras dos estádios e da infraestrutura do evento está “sob controle”, e considerou “positivo” o fato de o Governo Federal ter envolvimento direto na sua entidade.

“Estou muito otimista, está tudo sob controle e tenho certeza que será uma Copa do Mundo fantástica”, declarou o executivo.

“Fazemos o monitoramento das obras 24 horas por dia e podemos dizer com tranquilidade que os estádios vão ficar prontos a tempo”, explicou Ricardo Trade, ao mostrar a impressionante sala de controle com telas exibindo imagens de cada um dos estádios que receberão jogos na competição.

“Agora, já temos outras prioridades. Continuamos monitorando as obras dos estádios, mas a questão não é mais saber se elas serão concluídas no prazo ou não. Já pensamos no aspecto operacional, em como será organizado o transporte em torno do estádio, onde os oficiais e a mídia serão hospedados”, afirmou.

O diretor executivo de operações do COL também se disse otimista em relação ao andamento das obras de infraestrutura, apesar de a Fifa ter feito fortes críticas a respeito da situação do transporte público e dos aeroportos há alguns meses.

“É importante ressaltar que a situação não é tão ruim assim como se diz na imprensa. Muitas das obras vão ficar prontas a tempo. Ontém mesmo, tive ótimas notícias sobre o aeroporto de Manaus. Às vezes, recebemos notícias negativas, mas quando você vai ao local, acaba vendo que as coisas estão funcionando”, comemorou.

No último mês de maio, o Governo Federal passou a ter envolvimento direto no COL, através da presença secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, uma mudança que Ricardo Trade avaliou como positiva.

“A presença dele estreitou ainda mais uma relação que já existia há muito tempo e trouxe o governo para mais perto da gente o que é fundamental porque o governo financia a maior parte das obras. Trouxe uma melhoria no dia a dia da nossa relação”, completou o executivo, que descartou qualquer desconfiança da parte do Governo Federal em relação ao trabalho do COL.