Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ex-rival, Rhodolfo alerta para rapidez e jogadas laterais do Coxa

Por Da Redação 1 jan 2012, 13h22

Negociado pelo Atlético-PR com o São Paulo no início de fevereiro, Rhodolfo ainda não enfrentou o Coritiba que bateu recorde de vitórias seguidas neste ano, mas acompanhou a formação do time. Para o duelo desta quarta-feira, pede cuidado com os fatores que fizeram o Palmeiras, último paulista a visitar o Couto Pereira, perder por 6 a 0.

‘Joguei bastante contra eles, os conheço bastante. São muito rápidos do meio para frente, jogam muito pelos lados do campo e têm uma bola parada muito boa. Temos que tentar marcá-los e estar concentrados na bola parada, precisamos estar bem neste quesito’, ensinou o defensor.

Além da postura avassaladora imposta pelo técnico Marcelo Oliveira, que diminuiu de ritmo após o vice-campeonato na Copa do Brasil, o zagueiro aponta a torcida adversária como obstáculo. ‘O Coritiba com certeza vai jogar com casa cheia. Temos que ter tranquilidade e saber a hora de atacar’, indicou.

Claramente ainda preocupado com a falta de concentração que causou os dois gols do Atlético-GO no empate do último sábado, no Morumbi, Rhodolfo ainda lista como dificuldade um ponto que, em sua opinião, o Tricolor sempre enfrenta: a motivação. O jogador admite que ganhava ânimo quando tinha seu atual clube como rival.

‘Todos os times jogam diferente contra a gente porque todos os jogadores querem vir para cá. Quando eu estava no Atlético-PR, percebia que jogar contra o São Paulo é diferente. Hoje realizo um sonho por estar aqui. E com certeza eles vão querer se mostrar, a mídia é muito grande. Precisaremos ter atenção’, solicitou.

Diante de tantos empecilhos, o defensor dá a entender que um empate não pode ser considerado ruim, apesar de a vitória deixar o São Paulo a três pontos do líder Corinthians, que terá uma partida a menos em relação aos seus concorrentes no final desta quarta-feira por causa do clássico adiado contra o Santos.

Mas Rhodolfo prefere nem pensar no jogo desta quarta-feira como única possibilidade de se recuperar como visitante os dois pontos perdidos contra o Atlético-GO em casa. ‘Não sei se temos uma obrigação de ganhar porque é complicado jogar lá [no Couto Pereira]. O elenco vai com tudo para vencer, este é o nosso intuito. Mas o pensamento é de tentar fazer um bom jogo’, confessou o zagueiro, que se formou e apareceu para o futebol brasileiro enfrentado o Coritiba no Paraná.

Continua após a publicidade
Publicidade