Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ex-cruzeirenses marcam e definem vitória do Grêmio em MG

Por Da Redação - 15 jul 2012, 18h08

Dois ex-jogadores do Cruzeiro foram os algozes de seu antigo clube neste domingo. Com dois gols de Marcelo Moreno e um de Kleber, o Grêmio venceu o time mineiro por 3 a 1, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a primeira vitória do Tricolor sobre a Raposa fora de casa em 14 anos. Wellington Paulista descontou para o time mineiro, de pênalti.

O jogo foi marcado pelas estreias de Elano, pelo Grêmio, e Borges, pelo Cruzeiro. O primeiro tempo foi controlado pelo time gaúcho, que teve mais posse de bola no campo de ataque e marcou dois gols em um intervalo de três minutos, abrindo boa vantagem. No final da etapa inicial, o zagueiro Werley acabou expulso, mas o time mineiro não soube aproveitar e ainda levou outro gol na etapa final.

Foi a segunda vitória do Grêmio fora de casa neste Brasileiro. A equipe de Vanderlei Luxemburgo sobe para o sexto lugar, com 15 pontos. Na próxima quarta-feira, o Tricolor recebe o Sport, em Porto Alegre. Já o Cruzeiro, que sofreu sua terceira derrota consecutiva, cai para a nona posição, com 14 pontos. Também na quarta, a equipe de Celso Roth visita a Portuguesa, no Canindé.

O Jogo – A partida marcou as estreias de Elano pelo Grêmio e Borges pelo Cruzeiro, além de vários reencontros. Léo, Tinga, Borges e Celso Roth, hoje no time mineiro, já passaram pelo Tricolor. Kleber e Marcelo Moreno, hoje gremistas, atuaram pela Raposa num passado recente.

O Grêmio controlou a primeira etapa, mas as primeiras boas chegadas foram mineiras. Aos 50 segundos, Wellington Paulista chutou com perigo de fora da área. Aos 17 minutos, a primeira grande chance do jogo: Leandro Guerreiro cruzou, Marcelo Grohe ficou no meio do caminho e Borges cabeceou. Grohe se recuperou da má saída e deu um tapinha evitando o gol.

O time mineiro ensaiava uma pressão. Aos 24, Léo aproveitou cobrança de escanteio, girou sobre a marcação e tentou o cruzamento. A bola bateu em Marcelo Moreno e quase entrou. Mas, no minuto seguinte, o Grêmio marcaria seu gol: Kleber lançou Elano em velocidade, o meia cruzou na medida e Marcelo Moreno abriu o placar. Ovacionado pela torcida cruzeirense antes do jogo, o boliviano não comemorou o gol, em respeito ao ex-clube.

Continua após a publicidade

O Grêmio se aproveitou do bom momento e da instabilidade cruzeirense para ampliar. Aos 28, Tony passou por Everton, cruzou rasteiro, Moreno escorou e Kleber fez o segundo. Ao contrário de seu companheiro de ataque, o Gladiador foi muito vaiado pela torcida presente no Independência antes de o jogo começar. Vingou-se marcando o gol e comemorando muito.

A torcida passou a vaiar muito o lateral Everton, já que os dois gols gremistas foram construídos às suas costas, pelo lado direito de ataque. Mas foi pela esquerda que o Tricolor quase ampliou: aos 42, Zé Roberto deu drible espetacular no marcador e cruzou, mas Marcelo Moreno foi desarmado na hora da conclusão. No minuto seguinte, decisão polêmica do árbitro Marcelo Aparecido de Souza: ele expulsou o zagueiro Werley, do Grêmio, após dividida com Montillo.

Para o segundo tempo, Luxa tirou Kleber e pôs Vilson, para recompor a defesa. Já Roth retirou Everton, em má atuação, e colocou o meia Souza, outro ex-Grêmio. A primeira boa chegada foi gremista: Tony recebeu na direita, cortou para o meio e chutou de canhota, para fora.

Mesmo com um homem a mais, o Cruzeiro não conseguia pressionar o time gaúcho, que tocava bem a bola no meio, comandado por Zé Roberto. Aos 16, a equipe mineira chegou com relativo perigo em um chute de Souza na entrada da área, por cima. Três minutos depois, o Grêmio matou o jogo: Souza puxou contra-ataque, passou por vários adversários na arrancada e recuou para Marcelo Moreno, que fuzilou Fábio: 3 a 0.

Dois minutos depois após sofrer o terceiro gol, o Cruzeiro quase descontou: Tinga cabeceou na pequena área e Vilson afastou em cima da linha. Indignada com a atuação da Raposa, a torcida chegou a gritar ‘olé’ em trocas de passe do Grêmio. Aos 32, Anselmo Ramon deu de bicicleta na pequena área e Marcelo Grohe fez um milagre, salvando o gol de honra do Cruzeiro. Aos 45, apesar da grande vitória gremista, Luxemburgo foi expulso pela arbitragem, por reclamação.

No último lance da partida, o árbitro marcou pênalti para o Cruzeiro quando Marquinhos tocou com a mão na bola para impedir um gol de Léo. A torcida cruzeirense pediu o goleiro Fábio como batedor, mas Wellington Paulista cobrou e descontou, mas não escapou das vaias, mesmo marcando o gol.

Continua após a publicidade
Publicidade