Clique e assine a partir de 9,90/mês

Evo elogia Messi – e provoca ciúme na seleção boliviana

Bolívia enfrenta a Argentina nesta terça-feira, e promete responder à homenagem do presidente com uma vitória

Por Da Redação - 25 Mar 2013, 17h18

Os jogadores da seleção boliviana não gostaram dos elogios do presidente Evo Morales ao argentino Lionel Messi às vésperas do confronto contra a seleção da Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. O político falou de sua admiração pelo melhor jogador do mundo nos últimos quatro anos e pediu a seu chanceler que estudasse a possibilidade de uma homenagem ao craque, que estará em La Paz nesta terça-feira para a partida. Antes que o Ministério das Relações Exteriores confirmasse se haveria uma condecoração, o presidente da Federação Boliviana de Futebol (FBF), Carlos Chávez, expôs a chateação de seus atletas. “Eles consideram não ser oportuno o anúncio da possibilidade de se condecorar um jogador argentino. Eu disse a eles para nós condecorarmos o povo boliviano ganhando a partida e isso é o que vale, porque é o país o que vale”, declarou Chávez.

Leia também:

Jornal afirma que Neymar tem pré-contrato com Barça

Em entrevista, Evo Morales expressou “respeito e admiração” a Messi “por sua qualidade humana e esportiva”. “Pedi ao chanceler para condecora Messi por ser o melhor jogador do planeta. Sempre vejo seus gols, suas jogadas. Sua habilidade é impressionante, e tomara que esse reconhecimento seja permitido”, disse o presidente da Bolívia, que é fã confesso de futebol. No ano passado, ele condecorou Ronaldinho Gaúcho quando o craque brasileiro esteve no país para uma partida da Libertadores, ainda pelo Flamengo. A Argentina tenta acabar com o jejum de três partidas sem bater os bolivianos. Na última visita a La Paz, o time então treinado por Diego Maradona, com Messi em campo, perdeu de 6 a 1, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. Em 2011, foram duas partidas em casa e dois empates por 1 a 1, em La Plata, pela Copa América, e em Buenos Aires, no primeiro turno das Eliminatórias. O último triunfo argentino foi em 2007, por 3 a 0, com gols de Riquelme (2) e Aguero.

Continua após a publicidade

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência EFE)

Publicidade