Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Europeus prendem 50 no maior esquema ilegal do futebol

A polícia europeia investigou 700 jogos - e achou provas de manipulação em 150. Rede é comandada na Ásia e rendeu um lucro total de 8 milhões de euros

A investigação durou um ano e meio. Nesse período, os agentes da Europol investigaram 425 jogos oficiais, além da atuação de jogadores, dirigentes e torcedores

A Europol, organização policial europeia, revelou nesta segunda-feira a existência de uma rede de corrupção no futebol que se estende da Ásia até a Europa. Em entrevista concedida em Haia, na Holanda, o diretor da entidade, Rob Wainwright, informou que um grande sistema de manipulação de resultados tem afetado o esporte mais popular do mundo nos últimos anos. “Foram identificados mais de 380 partidas de futebol profissional que estão cercadas de suspeitas de apostas ilegais. Essa ampla rede criminosa é controlada a partir do continente asiático”, explicou ele. Alemanha, Grã-Bretanha, Holanda, Turquia, Eslovênia, Áustria e Hungria são alguns dos países envolvidos no esquema de manipulação.

Entre os casos suspeitos estão partidas da Liga dos Campeões e das eliminatórias para a Eurocopa de 2012 e a Copa do Mundo de 2014. O esquema rendeu um lucro estimado em 8 milhões de euros (cerca de 21 milhões de reais) aos envolvidos. O montante total destinado ao suborno de árbitros, jogadores e outros envolvidos nas manipulações chega a 2 milhões de euros. A propina mais cara, cujo destinatário não foi revelado, foi de nada menos que 140.000 euros. A investigação durou um ano e meio. Nesse período, os agentes da Europol investigaram 700 jogos, além da atuação de 425 jogadores, dirigentes e torcedores suspeitos de envolvimento na rede de manipulação.

“Ficou provada a prática de combinação de resultados em 150 casos”, disse Wainwright. De acordo com ele, a organização emitiu ordem de detenção a 28 pessoas e já prendeu outros 50 envolvidos. O representante da Europol afirmou que essa é a “maior investigação já realizada sobre esquemas suspeitos no futebol” e lamentou o fato de o futebol europeu sofrer um “grande problema de integridade”. As suspeitas, porém, não se restringem a partidas disputadas no continente – um dos jogos investigados é um duelo entre Argentina e Bolívia, em que a arbitragem marcou um pênalti duvidoso a favor dos argentinos.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agências Gazeta Press, EFE e France-Presse)