Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA sem estrelas e Brasil azarão: o Mundial de basquete da China

O torneio terá início neste sábado e tende a ser o mais equilibrado dos últimos anos

O Campeonato Mundial de Basquete da Fiba começa neste sábado, 31, e os brasileiros terão de se adaptar ao fuso horário da China, sede da competição. A partida de estreia da seleção brasileira, por exemplo, está marcada para o próximo domingo, às 5h (de Brasília), contra a Nova Zelândia, no Grupo F, em um confronto que definirá o futuro do time no torneio.

A Grécia é a favorita para liderar o grupo e Montenegro é candidata à lanterna, deixando apenas uma vaga em jogo para Nova Zelândia e Brasil. Treinada pelo croata Aleksandar Petrovic, a seleção brasileira começa uma fase de transição, ainda sob comando dos experientes Leandrinho, Marcelo Huertas e Anderson Varejão, mas com os jovens Didi Louzada, Yago e Bruno Caboclo buscando seu espaço.

O Mundial 2019 promete ser o mais equilibrado e disputado dos últimos anos. Os Estados Unidos dominaram as últimas duas edições do campeonato, mas terão de lidar com uma lista de desfalques, porque as grandes estrelas, como LeBron James e Stephen Curry, focaram seus esforços em treinar para a próxima temporada da NBA. A seleção americana, além disso, terá Espanha, França, Sérvia, Grécia e outros fortes candidatos pela frente.

Como assistir

O brasileiro Leandrinho em amistoso contra a seleção da China

O brasileiro Leandrinho em amistoso contra a seleção da China (Wang HE/Getty Images)

Os jogos do Campeonato Mundial serão transmitidos na TV fechada pelos canais SporTV. O primeiro confronto transmitido no Brasil será no sábado, às 9h30 (de Brasília), quando a Espanha enfrentará a Tunísia. A estreia da seleção brasileira, às 5h do domingo, também será televisionada, assim como Grécia x Montenegro, às 9h, que complementam a primeira rodada do Grupo F.

A fórmula de disputa

O ex-jogador Scottie Pippen participando do sorteio das chaves do Mundial de Basquete da China

O ex-jogador Scottie Pippen participando do sorteio das chaves do Mundial de Basquete da China (Stringer/Anadolu Agency/Getty Images)

As 32 equipes estão dividas em oito grupos de quatro times. Os dois melhores avançarão à segunda fase, que terá quatro grupos de quatro seleções, com os dois mais bem posicionados de cada grupo avançando às quartas de final e assim por diante. Os times eliminados na primeira fase serão divididos em quatro grupos para decidir as colocações de 17º a 32º.

O favorito: Estados Unidos

O técnico Gregg Popovich falando com os jogadores do time de basquete dos Estados Unidos

O técnico Gregg Popovich falando com os jogadores do time de basquete dos Estados Unidos (Quinn Rooney/Getty Images)

A seleção americana é a favorita a vencer o torneio, mas sem a ampla vantagem que tinha sobre as demais equipes nos últimos anos. O motivo para os americanos terem um caminho duro no Mundial são os desfalques das grandes estrelas da NBA. Dentre os 12 convocados, apenas o armador Kemba Walker, do Boston Celtics, e o ala-armador Khris Middleton já participaram do jogo das estrelas da liga. O maior vencedor do time americano – e grande aposta – está no banco de reservas: o técnico Gregg Popovich, pentacampeão da NBA com o San Antonio Spurs e considerado um dos melhores treinadores da história. A aposta de Popovich está na nova safra americana, que tem o armador Donovan Mitchell, do Utah Jazz, e o ala Jayson Tatum, dos Celtics, como principais expoentes, mas que ainda não se acertaram em quadra. Os americanos tropeçaram contra a Austrália na última semana, em amistoso, e perderam seu o primeiro jogo nos últimos 13 anos.

O desafiante: Sérvia

O pivô Nikola Jokic, da Sérvia, em amistoso contra a Itália

O pivô Nikola Jokic, da Sérvia, em amistoso contra a Itália (Tao Zhang/Getty Images)

A Sérvia terá em quadra o seu melhor time desde a geração de ouro, campeã mundial em 1998 e 2002, e é a favorita a tirar o título dos Estados Unidos. A equipe tem quatro jogadores na NBA: Bogdan Bogdanovic e Nemanja Bjelica, do Sacramento Kings, o gigante de 2,2 metros Boban Marjanovic, do Dallas Mavericks, e o quarto colocado na votação de MVP (jogador mais valioso) da última temporada da NBA, Nikola Jokic, do Denver Nuggets. As estrelas sérvias guiaram a seleção a vencer todos os seus 11 jogos de preparação para o Mundial, feito que os credencia a vencer o campeonato deste ano.

Candidata a zebra: Grécia

O grego Giannis Antetokounmpo em amistoso contra o Irã

O grego Giannis Antetokounmpo em amistoso contra o Irã (Nicolò Campo/Pacific Press/LightRocket/Getty Images)

A Grécia corre por fora na luta pelo título, pois está um degrau abaixo de Sérvia e Estados Unidos, mas pode ser a grande surpresa do torneio. Os gregos têm no time o ala Giannis Antetokounmpo, atual MVP da NBA jogando pelo Milwaukee Bucks. O jogador de apenas 24 provou ser um fenômeno na principal liga do mundo e terminou a última temporada com impressionante média de 27,7 pontos, 12,5 rebotes e 5,9 assistências. Com um atleticismo fora de série, Giannis dificilmente será parado e pode levar a Grécia ao título inédito do Mundial.

Os grupos

Grupo A:

Costa do Marfim
Polônia
Venezuela
China

Grupo B:

Rússia
Argentina
Coreia do Sul
Nigéria

Grupo C:

Espanha
Irã
Porto Rico
Tunísia

Grupo D:

Angola
Filipinas
Itália
Sérvia

Grupo E:

Turquia
República Checa
Estados Unidos
Japão

Grupo F:

Grécia
Nova Zelândia
Brasil
Montenegro

Grupo G:

República Dominicana
França
Alemanha
Jordânia

Grupo H:

Canadá
Senegal
Lituânia
Austrália