Clique e assine com 88% de desconto

Espanha: Messi comparece a audiência sobre sonegação

O craque e seu pai, Jorge, prestaram explicações a autoridades em Barcelona

Por Da Redação - 27 set 2013, 09h50

Em agosto, o pai de Messi pagou mais de 5 milhões de euros ao Fisco, valor referente aos impostos atrasados mais juros. Ainda assim, a Receita espanhola não desistiu da investigação

Acusado de ter fraudado a Receita Federal da Espanha ao não pagar mais de 4 milhões de euros em impostos, o craque Lionel Messi apareceu nesta sexta-feira em uma audiência judicial em Gava, região nobre de Barcelona onde o argentino mora com a família. Pouco antes, o pai do atleta, Jorge Horacio Messi, também foi ouvido pelas autoridades espanholas. Ambos falaram a portas fechadas com as autoridades fiscais. Messi e o pai sempre negaram ter cometido fraude – eles dizem que qualquer possível irregularidade na tributação dos rendimentos do jogador é decorrente de erros cometidos pelos profissionais pagos para cuidar de suas finanças.

Leia também:

Messi paga R$ 15,5 mi após as acusações de fraude fiscal

Publicidade

Filha do técnico da Argentina ataca Messi, ‘frio e sem garra’

Messi cai na balada em Vegas e é flagrado com dançarina

A audiência estava prevista para 17 de setembro, um dia antes da partida entre Barcelona e Ajax, no Camp Nou, na abertura da fase de grupos da Liga dos Campeões, mas o tribunal aceitou adiar a ida do atleta ao local. Em agosto deste ano, o pai de Messi pagou mais de 5 milhões de euros ao Fisco, valor referente aos impostos atrasados mais juros. Ainda assim, a Receita espanhola não desistiu da investigação – por causa da crise financeira no país, as autoridades fiscais têm trabalhado de forma muito mais rigorosa, informa a imprensa local. A acusação de fraude fiscal surgiu em junho, quando um procurador do estado da Catalunha abriu uma ação judicial que denunciava o astro argentino e seu pai por três crimes contra o erário público.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Publicidade

Siga VEJA Esporte no Twitter

As investigações são referentes às declarações de imposto de renda do jogador nos anos de 2007, 2008 e 2009 – justamente o período em que ele se consolidou como um craque de primeiro escalão. Os responsáveis pela denúncia dizem que Messi, de 26 anos, um dos atletas mais bem pagos do mundo, usou empresas abertas em paraísos fiscais para fechar contratos publicitários. Os direitos de imagem do melhor jogador do mundo teriam sido negociados em Belize e no Uruguai para que Messi não precisasse pagar impostos na Espanha, país onde reside e trabalha. Os contratos de imagem envolvem marcas como Adidas, Pepsi, Danone, Proctor and Gamble e o banco espanhol Sabadell.

Publicidade