Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Espanha humilha Itália e faz história na Eurocopa

A seleção espanhola sagrou-se campeã europeia pela terceira vez em sua história ao atropelar por 4 a 0 a Itália na final disputada neste domingo, em Kiev, conseguindo a inédita façanha de conquistar duas Eurocopas e uma Copa do Mundo em sequência.

O meia David Silva abriu o placar para a ‘Fúria’ aos 14 minutos de jogo, o lateral Jordi Alba ampliou aos 41, o atacante Fernando Torres fez o terceiro aos 39 do segundo tempo e Juan Mata, seu companheiro de equipe no Chelsea, fechou a goleada aos 43.

Além de correr atrás do resultado, a ‘Squadra Azzurra’ teve mais um problema no início do segundo tempo, quando ficou com um homem a menos após o brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta sair machucado aos 16 – três minutos depois de ter entrado em campo – quando o técnico Cesare Prandelli já tinha feito suas três substituições.

A Espanha levantou o troféu da Eurocopa pela terceira vez, após os títulos conquistados em 1964 e 2008.

Os comandados do técnico Vicente Del Bosque fizeram história ao se tornar a primeira equipe a conquistar as três maiores competições de seleções do mundo de forma consecutiva: Eurocopa-2012, Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, e Eurocopa-2008, na Áustria e na Suíça.

Já a Itália perdeu a oportunidade de vencer a competição pela segunda vez, após a conquista de 1968.

Na edição anterior da Eurocopa, a ‘Fúria’ também liquidou a ‘Squadra Azzurra’, na disputa de pênaltis nas quartas de final do torneio.

A Itália começou bem neste domingo, e teve seu primeiro chute a gol logo aos 2 minutos, quando Pirlo foi acionado após uma boa troca de passes pela esquerda, mas isolou a bola nas arquibancadas.

A Espanha reagiu aos 11, com uma boa jogada de Fábregas, que tocou de primeira para Xavi, mas o meia chutou por cima do gol de Buffon.

Depois de um início tímido, a ‘Fúria’ começou a controlar a partida e o primeiro gol saiu aos 14 minutos, num lançamento primoroso de Iniesta para Fábregas, que foi à linha de fundo e cruzou forte para David Silva balançar as redes de cabeça, sem chances para Buffon.

A Itália teve boa oportunidade de empatar no minuto seguinte, numa cobrança de escanteio, mas Casillas saiu bem do gol para espalmar a bola antes da chegada de De Rossi.

Aos 20, Giorgio Chiellini saiu de campo machucado e foi substituído por Balzaretti, que se destacou sete minutos depois com um ótimo cruzamento para Balotelli, mas Casillas saiu bem, novamente, e se antecipou ao atacante.

A ‘Squadra Azzurra’ tinha mais posse de bola e chegava com perigo ao gol, principalmente com Cassano, que aos 28 fez grande jogada individual pela esquerda, chutou entre as pernas de Pique, mas Casillas estava bem colocado.

O atacante do Milan voltou a se destacar dois minutos depois, quando driblou Arbeloa e arriscou um chute rasteiro de longe que o goleiro espanhol defendeu com tranquilidade.

Aos 38, Balotelli, que estava apagado até então, fez uma boa tabela com o mesmo Cassano, que devolveu a bola de calcanhar, mas ‘Super Mario’ isolou a bola.

A Espanha marcou seu segundo gol aos 41, mostrando muita objetividade, quando Xavi deu um passe açucarado para Jordi Alba, que recebeu nas costas da zaga italiana e tocou com categoria na saída de Buffon.

A Itália partiu para cima para tentar diminuir o placar e Montolivo mandou uma bomba de fora da área aos 43, mas Casillas fez mais uma grande defesa.

A ‘Squadra Azzurra’ voltou do intervalo com o veterano Antonio Di Natale no lugar de Cassano, e o atacante da Udinese levou perigo aos 2 minutos da etapa final, quando errou o alvo por pouco ao cabecear para o gol após receber um cruzamento de Abate.

Quatro minutos depois, o mesmo Di Natale perdeu uma chance inacreditável, ao receber um grande lançamento de De Rossi pela esquerda, ficar cara a cara com Casillas e mandar a bola sobre o travessão.

Aos 13, Prandelli tentou reforçar o meio de campo ao tirar Montolivo para colocar Thiago Motta, mas o volante sentiu a coxa três minutos depois e acabou saindo de maca, deixando sua equipe com dez jogadores em campo.

Não era o dia de sorte do brasileiro, que antes da partida quase perdeu o ônibus para o estádio ao sair atrasado do hotel.

Depois da saída de Thiago Motta, a Espanha, em superioridade numérica, colocou a Itália na roda, com longas trocas de passe sob o ‘Olé’ da sua torcida, que foi ao delírio aos 38, quando Fernando Torres fez o terceiro da Fúria.

‘El Niño’, que tinha entrado em campo dez minutos antes no lugar de Fábregas, recebeu um grande lançamento de Xavi e tocou na saída de Buffon, acabando com as esperanças da Itália.

Logo depois desse gol, Iniesta saiu de campo ovacionado e foi substituído por Juan Mata, que quatro minutos depois deu à vitória da ‘Fúria’ cara de goleada ao fazer o quarto, após receber um grande passe de Torres, seu companheiro de equipe no Chelsea.