Espanha goleia Itália, leva o bi e reforça a sua supremacia

Campeões marcaram 4 a 0 em Kiev. Desde 2008, já somam três grandes títulos

Por Da Redação - 1 jul 2012, 17h41

A Itália lutou, mas não conseguiu superar a forte marcação do rival, principalmente depois de ficar com dez homens em campo

A Espanha conquistou o bicampeonato europeu – e o terceiro título continental de sua história -, ao derrotar com folgas a Itália, por 4 a 0, no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia, neste domingo. Os gols foram de David Silva, Juan Alba, Fernando Torres e Juan Mata, que consagraram a Espanha como a primeira seleção a conquistar duas Eurocopas e uma Copa do Mundo em sequência. Desde 2008, são três grandes títulos conquistados de forma consecutiva pela seleção espanhola – que já se credencia como favorita à Copa de 2014, no Brasil.

O placar da final foi o maior de uma final de européia na história, superando os 3 a 0 da Alemanha Ocidental sobre a União Soviética em 1972. Além de se transformar na primeira seleção a vencer duas Eurocopas seguidas, a Espanha também iguala a Alemanha com três títulos no total. Para a Itália, a condição de finalista já pode ser considerada um triunfo. A equipe chegou desacreditada depois de decepcionar na Copa de 2010, mas mostrou bom futebol e um estilo mais ofensivo, principalmente ao eliminar a Alemanha na semifinal.

Depois de alguns minutos de equilibrio no início da partida, a Espanha começou a se impor na qualidade do toque de bola. E foi assim que abriu o placar, aos 14 minutos do primeiro tempo, após boa jogada que começou no meio-campo e culminou em cruzamento de Fabregas na cabeça de David Silva, que abriu o placar. Aos 41 da etapa inicial, foi a vez de a Espanha mostrar que o contra-ataque é outra arma mortal do time. Casillas começou a jogada lançando Alba. O novo lateral do Barcelona tabelou com Xavi e recebeu para marcar o segundo.

Publicidade

Na etapa final, a Espanha ditou o ritmo confortavelmente e seguiu dominando a partida. A Itália lutou, mas não conseguiu superar a forte marcação do rival, principalmente depois que o brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta deixou o campo três minutos depois de sua entrada, contundido. Aos 39 minutos, após erro de passe da Itália, a bola caiu nos pés de Xavi, que deu nova assistência, agora para Fernando Torres, que marcou o terceiro. Quatro minutos depois, Juan Mata recebeu livre de Torres e fechou a goleada, dando início à festa do título.

(Com agência EFE)

Publicidade