Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Érika exalta grupo, mas se rende: ‘Graças a Deus, Marta é brasileira’

Por Da Redação 9 dez 2011, 06h30

A zagueira Érika, melhor jogadora em campo na vitória por 5 a 1 do Brasil sobre a Itália de acordo com a organização do Torneio Internacional Cidade de São Paulo, deixou o Pacaembu exaltando a qualidade das coadjuvantes da Seleção Brasileira. Mesmo assim, admitiu que o talento de Marta, eleita melhor do mundo nos últimos cinco anos e concorrendo mais uma vez em 2011, faz a diferença.

‘Todas as meninas estão de parabéns pela vitória, mas a gente dá graças a Deus porque a Marta é brasileira. Eu falo direto: que bom que essa garota está no nosso País’, elogiou Érika, que aproveitou escanteio batido pela camisa 10 para marcar de cabeça o gol de empate do Brasil um minuto depois de Conti abrir o marcador para as europeias.Àquela altura, Marta ainda estava apagada na partida e passava mais tempo reclamando com a arbitragem em função da força exagerada das marcadoras do que criando boas jogadas com a bola nos pés. Na etapa complementar, com Thais e Rosana nas vagas de Francielle e Maicon, o time todo melhorou e a melhor do mundo se destacou com mais duas assistências e um belo gol.

‘Está todo mundo jogando bem, querendo ajudar. Sozinha, a Marta não vai conseguir jogar. Tem que ter alguém para passar a bola para ela e ela precisa ter alguém para servir também’, acrescentou Érika, sempre buscando exaltar a força do conjunto verde-amarelo. ‘Agradeço por terem me escolhido como a melhor do jogo, mas eu não concordo. Todas as meninas fizeram seu papel. Se eu tirei algumas bolas ali, foi porque isso é minha obrigação’.

O Brasil encerra a primeira rodada do Torneio Cidade de São Paulo empatado na liderança com a Dinamarca, que goleou o Chile por 4 a 0. No domingo, uma vitória brasileira sobre as chilenas aliada a um triunfo dinamarquês sobre a Itália classifica as duas equipes para a decisão.

Continua após a publicidade

Publicidade