Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Enfim de férias, Liedson comemora título que faltava no currículo

Por Da Redação 4 dez 2011, 18h40

Liedson já pode descansar. Após um ano e meio de trabalho, entre gols e lesões recorrentes nos joelhos, o atacante de 33 anos (completará 34 em 17 de dezembro) inicia as suas tão aguardadas férias com uma recompensa pelo esforço físico na temporada: o título brasileiro de 2011.

A conquista era justamente a maior motivação de Liedson para suportar as constantes dores no corpo e ajudar o Corinthians. O artilheiro ainda não tinha títulos nacionais expressivos em seu currículo. Campeão paulista de 2003, em sua primeira passagem no Parque São Jorge, ele só havia ganhado duas vezes a Taça de Portugal (em 2007 e 2008) e uma a Supertaça de Portugal (2007) pelo Sporting. Foi ainda vice-campeão da Liga Sagres, o Campeonato Português, em quatro ocasiões.

‘Ser vice-campeão não significa nada’, comentava Liedson, quando o troféu do Campeonato Brasileiro começava a ficar mais próximo do Corinthians. ‘Não faço ideia de como é ser campeão nacional. Deve ser incrível. É por isso que estou me sacrificando’, explicava.O sacrifício de Liedson envolveu até uma operação, a terceira no joelho na carreira. A primeira intervenção (uma ligamentoplastia) ocorreu em 16 de maio de 2008, e a segunda (artroscopia no menisco), em 23 de dezembro do ano seguinte. De volta ao Brasil, ele se submeteu a uma nova artroscopia em 22 de julho.

Sem Liedson e com Adriano ainda fora de forma, Tite sofreu para encontrar uma referência ofensiva para o Corinthians, que caiu de rendimento no Campeonato Brasileiro. Emerson e Willian não conseguiram desempenhar a função, e até o jovem Taubaté foi cotado a suprir a carência. O técnico, então, apressou o retorno do goleador luso-brasileiro.

Liedson reforçou o Corinthians na reta final e, mesmo mancando, foi decisivo para a caminhada até o título. Para o médico corintiano Joaquim Grava, responsável pela última operação do jogador, é preciso se acostumar ao problema físico. ‘Será assim pelo resto da vida do Liedson, pois é um joelho sofrido há anos. Antigamente, quem tinha lesão de ligamento cruzado encerrava a carreira. Hoje, volta a jogar com reconstrução. Mas a agressão cirúrgica é grande e fica a sequela na cartilagem’, advertiu.

Liedson já não se importa tanto com as dores. ‘Enquanto puder dar a minha contribuição, vou estar em campo’, avisou o campeão brasileiro de 2011, finalmente livre para relaxar os joelhos, as pernas e a mente – pelo menos até a próxima pré-temporada.

Continua após a publicidade
Publicidade