Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Empresário de Tevez diz que atacante não se negou a jogar

O atacante argentino Carlos Tevez, do Manchester City, acusado de ter se negado a entrar em campo durante uma partida de Liga dos Campeões contra o Bayern de Munique, teria sido vítima de um erro de tradução, declarou nesta quarta-feira seu empresário Kia Joorabchian.

“Se existe uma coisa que não pode ser criticada é o compromisso dele com seu clube quando está em campo. Ninguém pode criticá-lo por não querer jogar”, declarou Kia, ex-presidente da MSI, que teve uma polêmica parceria com o Corinthians de 2004 a 2007 e foi responsável pela contratação de Tevez pelo clube paulista.

O argentino está cumprindo uma suspensão de duas semanas por supostamente não querer deixar o banco de reservas para uma substituição no segundo tempo da partida de Liga dos Campeões que sua equipe perdeu por 2 a 0 diante do Bayern de Munique, no dia 27 de setembro.

As declarações de Joorabchian soam como críticas ao técnico do Manchester City, o italiano Roberto Mancini, que afirmou ter dificuldades para lidar com Tevez, já que o jogador manifestou seu desejo se sair do clube por motivos pessoais.

O empresário deu exemplos de outros momentos em que o atacante jogou no sacrifício para desmentir sua suposta falta de motivação para atuar com o time inglês. “Ele já teve que fazer infiltrações para jogar pelo Manchester City quando estava com o joelho inchado. No Corinthians, entrou diversas vezes em campo apesar das recomendações do médicos que diziam que ele não tinha condições”, lembrou.

Kia negou-se a fazer especulações sobre o futuro do argentino, que poderá sair do clube na próxima janela de transferências, em janeiro e já recebeu até o apoio do ex-presidente Lula para voltar ao Corinthians.

Mas a imprensa espanhola informou na semana passada que é mais provável que ela saia para outro clube europeu. O Real Madrid, a Juventus, a Inter de Milão e o Paris Saint-Germain estariam na briga.

“Não posso antecipar o que Carlos vai fazer. Ele foi julgado e condenado antes que seu caso seja estudado a fundo. Acho que tanto o clube quanto o jogador se encontram numa posição muito difícil”, afirmou o empresário.